Ministério Público investiga fraudes e desvios em eventos públicos na Zona da Mata

Sede do Poder Executivo em Viçosa
O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), com apoio da Polícia Militar, cumpriu nessa terça-feira, 21 de agosto, 16 mandados de busca e apreensão nas cidades de Pedra do Anta, Viçosa, Ponte Nova e Visconde do Rio Branco, todos na Zona da Mata. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça da Comarca de Teixeiras.

O trabalho em conjunto foi um desdobramento da Operação Caça Talentos, realizada em 2017, e investiga fraudes e desvio de recursos públicos em licitações de estrutura para eventos festivos e contratação de artistas.

Durante a operação, realizada pela Promotoria de Justiça de Teixeiras, Grupo Especial de Defesa do Patrimônio Público (GEPP) e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Visconde do Rio Branco, foram apreendidos documentos, equipamentos e material de informática.

As investigações começaram no início deste ano, em decorrência de material compartilhado pela Vara Criminal de Ponte Nova, que apurava, à época, suspeitas de crimes relacionados a fraudes e a desvio de recursos públicos.

Em decorrência dos trabalhos realizados, já existe na comarca de Teixeiras um Processo Investigatório Criminal (PIC), por meio do qual estão sendo colhidas provas para a elucidação dos fatos.

Participaram da operação quatro promotores de Justiça e 59 policiais militares.

Operação de 2017

Em 2017, uma operação prendeu preventivamente duas pessoas suspeitas de fraudar licitações. Os municípios mineiros investigados foram Amparo da Serra, Belo Horizonte, Matipó, Rio Casca, Teixeiras, Ubá e Viçosa. Também foi investigado Mimoso do Sul, no Espírito Santo. Dezesseis mandados de busca e apreensão e 20 de condução coercitiva também foram cumpridos nessas cidades.

Fonte: MPMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre