Operação “Poder Paralelo” cumpre mandados em Viçosa, Paula Cândido e Ponte Nova e apreende mais de R$ 100 mil

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Regional da Zona da Mata (unidades de Visconde do Rio Branco e Juiz de Fora), da Promotoria de Justiça Criminal e da Comarca de Viçosa, em conjunto com a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais e com a Polícia Civil dos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, deflagrou na manhã desta segunda-feira, 21 de setembro, a Operação “Poder Paralelo”.

Foram realizadas ações nos municípios de Viçosa, Paula Cândido e Ponte Nova, cidades da Zona da Mata Mineira.

Ao todo, foram cumpridos dois mandados de prisão e 24 mandados de busca e apreensão e efetuadas quatro prisões em flagrante.

Foram apreendidos substâncias entorpecentes, uma arma de fogo de calibre restrito, munições, balanças de precisão e mais de R$100.000,00 em moeda corrente. A pessoa apontada como líder do grupo criminoso não foi localizada e segue foragida.

O objetivo da ação é combater o tráfico de drogas, associação para o tráfico de entorpecentes, porte de armas e demais crimes violentos.

O nome “Poder Paralelo” faz alusão ao grau de organização do grupo criminoso. As investigações até então realizadas mostram que os integrantes estão realizando atividades nos mesmos moldes de grandes facções criminosas existentes em outros estados – promovendo festas populares, realizando ações assistencialista na comunidade e produzindo videoclipes que exaltam condutas criminosas.

As investigações prosseguem no âmbito do Ministério Público e da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, a fim de apurar os possíveis crimes praticados pela organização, bem como o envolvimento de terceiros que atuam em conluio com os investigados.

A operação desta segunda-feira contou com o apoio da tropa especializada da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Participaram da operação promotores de justiça, 20 policiais civis, inclusive com equipes do Rio de Janeiro e aproximadamente 130 policiais militares, com o emprego do BOPE, Rotam, Choque, cães treinados e um helicóptero que deu suporte aéreo na execução dos mandados.

Fonte: MPMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre