Paciente de Viçosa com suspeita de Coronavirus tem alta do hospital

Nessa sexta-feira (28), a paciente que estava internada no Hospital São Sebastião, desde quarta-feira, com suspeita de Coronavírus (COVID-19) recebeu alta. Ela deverá ficar em isolamento residencial por 14 dias, sob instruções de profissionais da área de saúde sobre cuidados sobre a transmissão da doença.

As recomendações seguem o protocolo da Secretaria Estadual de Saúde e da Organização Mundial da Saúde.

Os exames foram encaminhados à Fiocruz e ao Estado de Minas Gerais e a previsão que o resultado saia na próxima terça-feira (03).

De acordo com o secretário de saúde Marcus Schitinni, a o quadro clínico que serve como parâmetro para a internação, não a doença. “Conforme determinação médica, a paciente demonstrou melhora e estabilidade, seguindo recomendação de classificação de risco, o médico deu a alta “, salientou.

Plano de contigência contra o Coronavírus

Nesta sexta-feira (28), foi realizada a segunda reunião sobre o plano de contigencia contra o Coronavírus.

Profissionais da Universidade Federal de Viçosa e da Secretaria de Saúde debatem as próximas ações em combate a transmissão do vírus. Uma das ações programadas é equipar as unidades básicas de saúde com insumos relacionados ao protocolo de atendimento do coronavírus.

Protocolo de atendimento

O protocolo recomenda que pacientes com sintomas suspeitos procurem a Unidade Básica de Saúde que estejam referenciados para um atendimento inicial. A partir de então, a UBS acompanhará o caso, tomando medidas cabíveis.

Já a população estudantil deverá procurar a Divisão de Saúde da Universidade Federal de Viçosa para um atendimento inicial. E nos finais de semana, devem ir ao Hospital São João Batista.

Ficou definido que o Hospital São João Batista será a referência para o atendimento de casos suspeitos. Este ofertará um ala específica para acompanhar os pacientes. Tanto as Unidades Básicas de Saúde, a Universidade Federal de Viçosa e as Clínicas Médicas devem comunicar ao hospital sobre cada caso suspeito.

São considerados casos suspeitos aqueles que se enquadram em três situações:

* Situação 1: Febre e pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar e histórico de viagem para área com transmissão local nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; ou
* Situação 2: Febre e pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar e histórico de contato próximo de caso suspeito do COVID-19 nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; ou
* Situação 3: Febre e pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar e histórico de contato próximo de caso confirmado do COVID-19 nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

As medidas de prevenção podem parecer simples, mas são essenciais:

* Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas, objetos e antes de se alimentar;
* Usar lenço descartável para higiene nasal;
* Cobrir nariz e boca com o braço ao espirrar ou tossir;
* Evitar tocar nas mucosas dos olhos;
* Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;Manter os ambientes bem ventilados;
* Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;Evitar contato próximo com animais doentes.

Fonte: PMV


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre