Polícia Civil prende homem que matou a própria mãe a golpes de machado após ela negar dinheiro para drogas

Delegado Diêgo Candian Alves
A Polícia Civil de Minas Gerais, por meio da Delegacia de Polícia da Comarca de Visconde do Rio Branco, cumpriu, no final da tarde dessa quinta-feira, dia 15 de outubro de 2020, um mandado de prisão temporária expedido pela Juíza da Vara Criminal daquela cidade, em desfavor de um homem de 52 anos, suspeito de ter assassinado a própria mãe, de 75 anos, no dia 08 de outubro de 2020, por volta das 22h, em Visconde do Rio Branco.

Segundo o delegado regional de polícia civil de Ubá, Diêgo Candian Alves, que representou pela prisão temporária do suspeito, “fato que nos chamou a atenção não foi apenas a motivação torpe e o requinte de crueldade perpetrado pelo investigado, ao usar um machado e desferir na região craniana da vítima, pessoa idosa, mas também a audácia daquele em acionar socorro, visando simular que a vítima havia sofrido uma queda, quando na realidade foi assassinada pelo próprio filho, porque, segundo ele, estava drogado”.

Na data do fato, a Polícia Militar recebeu um chamado via 190, de um profissional da área da saúde, dando conta que o investigado teria ligado para o serviço emergencial 192, para noticiar que a genitora deste necessitava de um pronto atendimento médico, pois havia sofrido uma queda.

Diante das informações, a equipe de socorro se deslocou até o local do fato e, ao adentrar na residência, deparou-se com a vítima deitada em decúbito dorsal no chão da sala, já aparentando estar sem vida e com múltiplos ferimentos na cabeça.

Posteriormente, o investigado teria informado que se deslocou até a residência da vítima para ir ao banheiro, momento em que se deparou com sua mãe deitada no chão da sala, com um grande sangramento, desacordada e com um ferimento na cabeça.

Iniciadas as investigações, chegou ao conhecimento da Polícia Civil que a vítima teria recebido a importância de R$ 700,00 referente a sua aposentadoria, no último dia 06 de outubro, contudo, os familiares deram por falta do dinheiro, tudo levando a crer que essa quantia foi também subtraída pelo autor, pois, este tinha o hábito de subtrair valores de sua mãe, para comprar drogas.

Ao empreenderem diligências no local do crime, os investigadores lograram êxito de localizar e apreender o machado utilizado no delito, bem como roupas do suspeito, que apresentavam marcas de sangue da vítima.

Uma vez interrogado, o suspeito admitiu que teria matado sua própria mãe, “porque estava drogado”. Segundo ele, a matou porque pediu dinheiro para comprar entorpecentes, contudo, a vítima disse que não tinha, momento em que o autor foi até o quarto de seu padrasto, pegou um machado e efetuou dois golpes na região craniana de sua genitora, que veio a óbito no local.

“O investigado, que já tem passagem policial por crime de homicídio, será indiciado pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), visto que há indícios de que ele teria, além de ceifado a vida da vítima, subtraído dinheiro, fruto da aposentadoria da idosa e está à disposição da Justiça.

O prazo da prisão temporária é de 30 (trinta) dias, por se tratar de crime hediondo, podendo ser prorrogado por mais trinta dias e, logo em seguida, será representada à Justiça, pela conversão da prisão temporária em prisão preventiva”, ressaltou a autoridade policial.

Fonte: PCMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre