Professor é indiciado por induzimento a suicídio e estupro de vulnerável



Na manhã desta sexta-feira (9), em Juiz de Fora, a Polícia Civil de Minas Gerais divulgou informações sobre a apuração do caso envolvendo um professor de dança, de 46 anos, que teria cometido crimes contra a família.

Conforme a titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, delegada Ione Maria Moreira Dias Barbosa, o inquérito foi concluído nesta sexta e será enviado à Justiça. “Conseguimos a conversão da prisão temporária para preventiva, explicou, complementando que o suspeito foi indiciado pelos crimes de induzimento ao suicídio e de estupro de vulnerável.

Segundo ela, a mãe da vítima também será indiciada por estupro de vulnerável por omissão.

Investigação

No dia 18 de dezembro do último ano, a Polícia Civil cumpriu mandado de prisão temporária, no Bairro Nova Era, Zona Norte de Juiz de Fora, em desfavor do homem, suspeito de estuprar uma menina de 12 anos e de manter a mãe da vítima, de 48 anos, em cárcere privado. Além disso, ele teria induzido outro filho da vítima, um adolescente de 17 anos, ao suicídio. O investigado teria um relacionamento com a mulher de 48 anos há cerca de quatro anos, e morava com ela e seus três filhos.

Conforme a autoridade policial, as investigações se iniciaram em junho do ano passado, quando a PCMG recebeu denúncias de que mãe e filha teriam sido mantidas em cárcere privado pelo homem e que a jovem teria sido vítima de estupro. Também havia informações de que o suspeito induziu um dos filhos, de 17 anos, ao suicídio e que outro filho, de 18 anos, estaria desaparecido.

Após a análise de vídeos recuperados do celular do investigado e depoimentos de testemunhas, foi possível deflagrar a ação, apesar de o suspeito negar os crimes. Segundo ela, na residência do preso também foram apreendidos remédios que teriam sido utilizados para dopar as vítimas.

O suspeito se encontra na unidade prisional, à disposição da Justiça.

Fonte: PCMG

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.