Selo internacional para café sustentável é conquistado por produtor de Divino

“As pessoas querem consumir produtos feitos com responsabilidade social e ambiental. Ter consciência do impacto que você gera com o seu consumo é uma tendência mundial, e a certificação nos ajuda a mostrar para os clientes que seguimos essas diretrizes no nosso trabalho”.

A afirmação é da produtora rural de Divino, Selma Garcia que conquistou recentemente o selo internacional Rainforest Alliance, junto a um grupo de participantes e técnicos de campo do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte, do Sistema FAEMG/SENAR/INAES. “A conquista é resultado de um processo feito com união, respeito, compromisso e confiança que desenvolvemos no ATeG”.

Esse é o terceiro selo do Café da Gruta da Liberdade, que já tem o Certifica Minas e o SAT – Produtos sem Agrotóxicos, oferecidos pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). A cafeicultora explica que as boas práticas agrícolas, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade sempre foram uma preocupação dela e do esposo, Arnaldo Gonçalves na propriedade. Com o ATeG, a gestão e a qualidade também foram aprimoradas, e assim, as exigências para a certificação foram cumpridas com mais facilidade.

“Nós estamos produzindo melhor, construímos terreiros suspensos, estufas e fizemos cursos do SENAR. E com mais essa marca de qualidade, pretendemos alcançar um mercado diferenciado”.

Para a técnica de campo, Sandy Espinoso a abertura do casal para a inovação e a tecnologia em prol da qualidade e da busca de novos mercados, fez a diferença no processo de certificação. “Eles têm o perfil ideal, e, para mim, foi muito importante acompanhá-los em todas as etapas e ver o resultado positivo que vai ajudá-los a fazer melhores vendas dentro e fora do país”.

Os cafés especiais da Gruta da Liberdade são comercializados em Divino, Juiz de Fora e em feiras e eventos. O produto já foi vendido para turistas de 11 países.

Responsabilidade socioambiental

Selma destaca que o processo de certificação internacional envolveu também as cinco famílias que moram na Fazenda Gruta da Liberdade e trabalham em regime de contrato de parceria agrícola. Suas condições de vida e trabalho foram aferidas durante a auditoria.

“O auditor esteve na casa de todos, falou com crianças e adultos. Achei muito importante esse olhar para as relações sociais, qualidade de vida e segurança no trabalho. Fizemos mudanças importantes que vamos manter”, reforçou.

Para cumprir uma das adequações para a certificação as famílias fizeram o curso de Fossa Séptica oferecido pelo SENAR.

“O SENAR é um grande parceiro, tem muitas capacitações excelentes que fazemos questão de aproveitar. Quando tivemos essa demanda, solicitamos ao Sindicato dos Produtores Rurais de Divino e fomos prontamente atendidos. Os trabalhadores participaram do curso e construíram sozinhos as fossas para as suas casas”.

Valorização feminina

Selma é a atual diretora de Sustentabilidade da Aliança Internacional das Mulheres do Café – IWCA Brasil, que alcança cerca de 700 mulheres que atuam na cadeia do café, e acredita que este ponto deve ser cada vez mais aprofundado na organização.

“Quero que outras pessoas conheçam formas sustentáveis de viver e produzir. Pretendo criar grupos de estudos, trocar experiências e trabalhar a questão da sustentabilidade no café com mulheres. Na IWCA reforçamos a importância da valorização do trabalho da mulher e de sua capacidade técnica e competência de produzir com qualidade e responsabilidade socioambiental”.

Fonte: Senar


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo