Um dos criminosos mais procurados de Minas, “Dentão” é preso em resort

Foi preso neste sábado (26/6) o terceiro foragido da lista dos 21 alvos mais procurados pelo sistema de Justiça de Minas Gerais.

A prisão foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Goiás, e pela Polícia Militar do Goiás, em Caldas Novas. Roger da Silva Galdino, de 35 anos e também conhecido pela alcunha de “Dentão”, possuía mandado de prisão por tráfico de drogas e atuava na região do Aglomerado Cabana do Pai Tomás, em Belo Horizonte.

A captura contou com o trabalho de inteligência da PMMG e do Gaeco Central de Minas. No momento da prisão, Roger se encontrava acompanhado de outro indivíduo procurado por tráfico de drogas, Erick Paulo de Jesus Ferreira, de 29 anos, também com atuação na região do Aglomerado Cabana do Pai Tomás. Eles aguardam transferência para o sistema prisional de Minas, onde serão julgados.

Anteriormente, outros dois criminosos que figuravam na quarta edição do Programa Procura-se já haviam sido capturados. Varni Clévio Queiroz Souza, de 33 anos, foi detido pela Polícia Rodoviária Federal em Cáceres, no Mato Grosso, no dia 13 de maio. E Clébio Pereira Rosa, de 42 anos, foi preso também por uma operação conjunta do Gaeco com a PMMG, em 16/6, na cidade de Sete Lagoas, na região Central do Estado. Assim como Roger, ambos possuíam mandados de prisão em aberto por tráfico de drogas.

Procura-se

A quarta edição do programa Procura-se, lançada no fim de abril, inclui 21 alvos considerados prioritários para o sistema de Segurança Pública de Minas. A iniciativa busca a prisão de indivíduos foragidos da Justiça, com mandados de prisão em aberto, a partir da qualificação das ações das polícias e das inteligências por meio de denúncias ao 181 Disque Denúncia.

O Procura-se é coordenado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e tem a parceria da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Ministério Público do Estado.

Os procurados desta edição foram escolhidos por todas as instituições considerando a prática reiterada de crimes graves, como homicídio, roubo e tráfico de drogas. Parte dos indivíduos listados também possui relação com explosões de caixas eletrônicos no Estado e assaltos armados a bancos – prática denominada “Novo Cangaço”. Além da prisão, a divulgação dos alvos traz o benefício de inibir a circulação desses criminosos.

181 Disque Denúncia

Ao ligar gratuitamente para o 181 Disque Denúncia para dar informações sobre um dos procurados, o cidadão tem seu sigilo e anonimato garantidos. Ele poderá fornecer detalhes sobre onde atuam, veículos que utilizam, quem são seus comparsas, quais são seus horários, onde foram vistos ou qualquer detalhe que possa contribuir com o trabalho das forças de segurança.

Vale ressaltar que em 13 anos de atuação, o Disque Denúncia, com a ajuda da população, já contribuiu com a prisão e a apreensão de mais de 243 mil pessoas, com a apreensão de 47,4 toneladas de drogas e com a retirada de circulação de quase 27 mil armas de fogo.

Divulgação dos alvos

A divulgação dos procurados acontece em todos os 853 municípios do Estado. Cartazes são espalhados com as fotos dos procurados em locais de grande circulação de pessoas ou que foram reconhecidos como estratégicos pelas polícias, além de em ônibus municipais de Belo Horizonte. Todas as peças possuem QR Code para acesso à lista de todos os procurados e outros detalhamentos por meio de smartphones. O Centro Integrado de Comando e Controle Nacional também está difundindo as informações dos foragidos para os demais Estados, ampliando a comunicação nacional sobre os alvos prioritários.

O cidadão ainda pode acessar um hotsite disponibilizado para a campanha, por meio do endereço procurase.seguranca.mg.gov.br (sem o www). No endereço eletrônico, encontrará a foto de todos os 21 procurados, com detalhamentos sobre atuação do criminoso, região onde pratica a maioria dos crimes, idade, apelido, mandados de prisão em aberto etc.

Da mesma forma, as redes sociais são amplamente utilizadas. Peças para aplicativos e mídias sociais como WhatsApp e Facebook foram produzidas para ampliar o alcance das divulgações das fotos e informações.

Fonte: SEJUSP


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo