Brasil vive surto de herpes zoster e vacina de mais de R$ 1 mil não é oferecida pelo SUS

Guia Muriaé no WhatsApp

Dados divulgados pelo DATASUS revelam uma preocupante escalada nos casos de herpes zoster no Brasil. No ano passado, 127 mil brasileiros foram diagnosticados com a doença, um aumento assustador de 568% em relação aos 19 mil casos registrados em 2022. Nos dois primeiros meses deste ano, o vírus afetou 27 mil pessoas, triplicando o número de casos em comparação com os 9 mil registrados no mesmo período de 2023.


Apesar desses números alarmantes, nenhuma das vacinas disponíveis contra o herpes zoster está inclusa no Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Sistema Único de Saúde (SUS), tornando a imunização completa acessível apenas no mercado privado, com um custo que pode chegar a R$ 1,7 mil.

Segundo informações do Ministério da Saúde, o herpes zoster, que é causado pelo mesmo vírus da catapora, apresenta-se através de bolhas que coçam e ardem, comumente conhecidas como “cobreiro”, geralmente surgindo no tronco, braços, pernas ou, em casos mais raros, nos ouvidos. As dores intensas tendem a ser localizadas, podendo causar complicações graves, como paralisia facial, como foi o caso da senadora Damares Alves (Republicanos-DF), que enfrentou um quadro de paralisia facial devido a uma recaída causada pelo vírus no ano passado e chegou a ser internada em Brasília.

“Os olhos e o cérebro são órgãos preferenciais para o vírus permanecer por muito tempo se replicando sem fazer alarde”, explicou o oftalmologista Leôncio Queiroz. Problemas nos olhos ocorrem em um a cada quatro casos, sendo essencial um acompanhamento médico rigoroso para prevenir complicações graves.

Os especialistas apontam o envelhecimento da população como um dos principais motivos para o surto da doença no país, uma vez que pessoas com mais de 50 anos que não foram vacinadas contra a catapora têm maior propensão a desenvolver uma reativação viral. Além disso, fatores como estresse, infecções virais, idade avançada, doenças crônicas como diabetes e o uso de certos medicamentos podem contribuir para a ativação do vírus.

O tratamento do herpes zoster varia de acordo com a gravidade do caso e pode incluir antivirais tópicos, corticosteroides e analgésicos para aliviar a dor associada à neurite óptica. É fundamental seguir as orientações médicas, realizar consultas de acompanhamento e manter a área afetada limpa para evitar complicações.

Projeto de inclusão da vacina no SUS

Um projeto que visa incluir a vacina contra o herpes zoster no calendário nacional de imunização do SUS está em tramitação na Câmara dos Deputados desde setembro de 2022.

O projeto passará por análise nas Comissões de Seguridade Social e Família; Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Senado Federal. A aprovação desse projeto pode ser um passo importante na prevenção e controle dessa doença viral.

Fonte: Guia Muriaé, com informações do R7

WhatsApp Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754
Seguir o Guia Muriaé no Google News
📲 Acompanhe o GUIA MURIAÉ - Facebook / Instagram / Telegram / Threads / TikTok / Twitter / YouTube / WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Guia Muriaé no WhatsApp
Botão Voltar ao topo