Cuidados com a dengue devem ser redobrados com a chegada do verão e dos períodos chuvosos



Dengue

A Secretaria de Estado de Saúde¨de Minas Gerais (SES) trabalha para diminuir os casos de dengue no Estado. A população também já conhece os principais modos de evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. Isso se torna importante, já que em 90% dos casos o foco do mosquito está dentro das residências.




“Estamos entrando no período crítico no que se refere à transmissão de dengue. A temperatura mais elevada, o nível de chuvas aumentado e o período de férias, podem favorecer a proliferação do vetor transmissor da dengue, Aedes aegypti. Por isso, é muito importante que a população siga algumas recomendações”, explica a Referência Técnica em Dengue da SES, Geane Andrade.

Recomendações

  • Mantenha o lixo em recipiente fechado, disponibilizando-o para recolhimento pela limpeza urbana.
  • Jamais descarte o lixo ou qualquer outro material que possa acumular água nos quintais, ruas ou lotes vagos.
  • Mantenha a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada.
  • Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água.
  • Elimine os pratinhos de vasos de plantas. Caso não seja possível, mantenha-os limpos e escovados pelo menos três vezes ao dia.
  • Mantenha limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos. A água deve ser trocada diariamente.
  • Mantenha piscinas sempre em uso e devidamente tratadas.
  • Ao sair de férias, garanta que esses cuidados serão seguidos na ausência do morador.
  • Caso perceba a manifestação de qualquer sintoma de dengue, procure imediatamente o centro de saúde mais próximo.

Faça a checagem, toda semana, e não deixe que o mosquito se multiplique. Ele leva de sete a 10 dias para passar do ovo à fase adulta. Por isso, o ideal é que cada um faça sua parte e se junte nessa luta contra a doença.

Os sintomas são: febre, dor de cabeça, no corpo, nas articulações e por trás dos olhos, podendo afetar crianças e adultos. São quatro tipos, sendo o mais grave o sorotipo 4. Com esse vírus, as pessoas que já foram infectadas podem novamente ficar doentes e desenvolver a dengue hemorrágica, que pode à morte.

Núcleos de mobilização social

A melhor forma de combater à dengue é unir esforços, se organizar e fazer parte de um núcleo de mobilização social na sua cidade, ao lado de profissionais da saúde, educação, meio ambiente, defesa civil, lideranças comunitárias, representantes de associações e outras entidades governamentais. O importante é mobilizar todos: amigos e vizinhança.

Para o coordenador de Mobilização Social da SES, Joney Fonseca, os núcleos ajudam na distribuição de informações sobre a doença, bem como do material da campanha. “São os núcleos que promovem o envolvimento da sociedade, por meio de parcerias. Os núcleos desenvolvem ações que beneficiam a população ao divulgar informações qualificadas e ao realizar ações de impacto direto nas comunidades, bairros e escolas, como mutirões de limpeza, palestras educativas, entrevistas de cunho informativo, dentre outras”, esclarece.

Se o município ainda não tem um núcleo, o primeiro passo é criar um “Plano de Ação Contra a Dengue”. Junto com vizinhos, parentes, lideranças locais e órgãos governamentais façaa um “Mapa de Problemas”. Depois, elabore o Plano de acordo com a seguinte tabela:

Ações Objetivo Estratégia Responsável Data Local Recursos
O que fazer? Para quê? Como? Quem? Quando? Onde? Por que meios?

O ideal é que o núcleo municipal seja composto por referências de zoonoses (dengue) e da Assistência à Saúde (Viva Vida), um profissional de comunicação social e parceiros da sociedade (associações, sindicatos, empresas, escolas, igrejas, etc).

Para saber se a cidade possui um núcleo de mobilização, deve-se procurar a Secretaria Municipal de Saúde ou as Regionais de Saúde de cada região.

Saiba mais em:

http://www.denguetemqueacabar.com.br

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.