Governo de Minas lança nova arma de combate à dengue

Dengue em Minas Gerais

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lança neste sábado (23), às 10h, em Pedro Leopoldo, uma campanha de incentivo ao uso da água sanitária (hipoclorito de sódio) em locais que podem se tornar potenciais focos do mosquito Aedes aegypti. Trata-se de mais uma estratégia que vem complementar as ações já desenvolvidas em Minas pelo Governo do Estado.

Está cientificamente comprovado que o produto é eficaz no combate às larvas do mosquito da dengue. E, diante da necessidade de buscar medidas alternativas para evitar a doença, que teve um aumento expressivo no início do ano, a SES-MG vai fazer a primeira ação com a águia sanitária. A SES vai repassar 13.300 litros do produto à prefeitura de Pedro Leopoldo, que apresenta alto índice de transmissão da doença.

O hipoclorito de sódio será entregue pelo agente de saúde para os moradores, durante visita às residências. Junto com o produto será entregue um manual de utilização do produto. “Essa nova medida pode ser utilizada por todos e será expandida, posteriormente, para outros municípios do Estado. A água sanitária deve ser empregada em potenciais criadouros, o que vai ajudar a evitar a proliferação do mosquito”, afirma a diretora de Vigilância Ambiental da SES-MG, Marcela Lencine Ferraz.

A ação será feita na Praça da Prefeitura (Rua Cristiano Ottoni, 555, Centro). Além dos agentes de combate a endemias e dos mobilizadores sociais, também estarão disponíveis no local o Dengômetro e o Dengue Móvel, nos quais os moradores poderão tirar dúvidas com relação à doença e trocar inservíveis (pneus, garrafas pets e latas) por material escolar (caderno, lápis e borracha).

Outra novidade é a Estação Denguemob, espaço que visa divulgar para os moradores o concurso que a SES está realizando nas redes. No espaço, vai ser disponibilizado um computador; nele, o cidadão poderá se cadastrar e participar do concurso. A SES-MG, desde a última segunda-feira (18), está em Pedro Leopoldo, com a Força Tarefa e com mobilizadores sociais para o combate aos focos do mosquito transmissor. A Força Tarefa que foi deslocada para essa cidade é formada por 40 agentes.

A ação

Para diminuir os casos de dengue é necessário que toda a população faça sua parte para eliminação dos criadouros, que em mais de 80% dos casos estão dentro das residências. Para isso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) vai distribuir água sanitária para ser utilizada na eliminação dos focos e criadouros do mosquito Aedes aegypti.

O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em janeiro deste ano nos municípios mineiros, identificou que mais de 50% dos focos de larvas dos mosquitos estão em vasos e pratos de planta; bebedouros de animais; ralos; vasos sanitários e caixas de descarga que não são de uso diário; calhas; bromélias e toneis.

Para reverter esse quadro, a Diretoria de Vigilância Ambiental da SES-MG faz as seguintes recomendações:

  • A utilização de 2 ml de água sanitária por litro de água é suficiente para o combate das larvas do mosquito da dengue;
  • Destaca-se que nesta concentração, a solução aquosa de água sanitária só deve ser utilizada para desinfecção, não sendo própria para ingestão de humanos ou animais. Essa diluição é aproximadamente 20 vezes maior que a concentração máxima permitida para ingestão que é de 2mg/l de cloro residual livre.

Recomenda-se a utilização de água sanitária pela população para combate as larvas do mosquito da dengue nos seguintes criadouros:

  • Vasos sanitários que não são de uso diário: adicionar 1 colher de chá (5ml) de água sanitária;
  • Caixa de descarga sanitária que não é de uso diário: adicionar 2 colheres de sopa (30ml) de água sanitária;
  • Ralos externos (captam água de chuva e de limpeza) e internos que não são de uso diário: adicionar 1 colher de sopa (15ml) de água sanitária;
  • Tambores de armazenamento (200 litros) de água não utilizada para consumo humano: adicionar 2 copos americanos (400ml) de água sanitária;
  • Bromélia: Preparar previamente a solução com 1 colher de café (2ml) para cada litro de água e preencher os locais onde acumulam água;
  • O tratamento deve ser repetido semanalmente, preferencialmente em dia fixo, de modo a garantir que a solução continue efetiva no combate as larvas;
  • Essa é uma ação adicional e não exclui as atividades de remoção e proteção dos potenciais criadouros, que são fundamentais para o controle da Dengue.

Fonte: Agência Minas


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo