Microrregião de Muriaé dispõe de apenas 1.013 leitos de internação para habitantes de 13 municípios



SUS

Segundo dados do Ministério da Saúde, a microrregião de Muriaé dispõe de apenas 1.013 leitos que servem de internação para habitantes de 13 municípios, sendo que desse total 228 não são do Sistema Único de Saúde (SUS). Os municípios somam, segundo dados da estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 193 mil habitantes.




Muriaé, Miradouro, Miraí, Patrocínio do Muriaé, Eugenópolis, Barão do Monte Alto, São Sebastião da Vargem Alegre, Vieiras, São Francisco do Glória, Rosário da Limeira, Fervedeouro, Antônio Prado de Minas, Laranjal são os municípios que formam a Microrregional de Muriaé sob a jurisdição da Gerência Regional de Saúde de Úba (GRS-Ubá).

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), não há uma recomendação e nem estabelecimento de taxas ideais de número de leitos por habitante a serem seguidas e cumpridas por seus países-membros. Tampouco há uma definição e recomendação quanto o número desejável de médicos, enfermeiros e dentistas por habitante. Não existe, ainda, orientação sobre a duração ideal das consultas médicas ou um número desejável de pacientes atendidos por hora.

Segundo levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM), quase 42 mil leitos foram desativados nos últimos sete anos. Dentre as especialidades mais atingidas com o corte estão psiquiatria (-9.297 leitos), pediatria (-8.979), obstetrícia (-5.862), cirurgia geral (-5.033) e clínica geral (-4.912).

Confira abaixo a evolução do total de leitos da microrregião de Muriaé nos últimos seis anos:

  • Junho/2012 – 1.013
  • Junho/2011 – 1.004
  • Junho/2010 – 925
  • Junho/2009 – 925
  • Junho/2008 – 926
  • Junho/2007 – 887
  • Junho/2006 – 1.007

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



2 comentários para “Microrregião de Muriaé dispõe de apenas 1.013 leitos de internação para habitantes de 13 municípios”

  1. ANA CLAUDIA says:

    De acordo com a OMS não há uma taxa ideal, mas no útlimo período, de junho/2011 à junho/2012, aumentar 9 (nove) leitos, é quase surreal pra não dizer que seja uma piada. Numa cidade de 102.000 habitantes fora as outras cidades vizinhas atendidas por Muriaé, até pra uma pessoa leiga, é possível fazer o questionamento para onde tem ido os recursos “destinados” à saúde, que é uma GARANTIA FUNDAMENTAL???Quem pode nos explicar???? Mais que isso, quem pode resolver esse problema????

  2. Vardiero Carvalho says:

    Se o município de Muriaé pretende ser um pólo da Saúde, é preciso que o prefeito trabalhe pra isto. O que a gente vê é a prefeitura fechando a emergência da Casa de Saúde, fechando a Clínica de Atendimento Infantil… o que é referência em Muriaé em Saúde é a Fundação do Cristiano Varella e o Prontocor, que também atende pelo SUS.

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.