Moradora de Viçosa vence o câncer e agora quer ser enfermeira

No Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado hoje, 8 de abril, conheça a história da Thalita Sant’anna, natural de Viçosa, e que se formou em enfermagem no final do ano passado.

Ser enfermeiro é um ato de amor e cuidado pelo próximo que ultrapassa o dever profissional e se torna algo da personalidade dessas pessoas que dedicam suas vidas a cuidar do outro. Em alguns casos, o carinho recebido faz tanta diferença que se torna inspiração na vida do paciente, e é uma história assim que contaremos nesta edição, a história da Thalita Sant’anna, uma jovem de 23 anos, que superou a leucemia e encontrou na experiência que viveu no Hospital do Câncer de Muriaé, inspiração para decidir sua carreira.

O diagnóstico de câncer pegou a adolescente de Viçosa, cidade a cerca de 90 km de Muriaé, então com 16 anos, e seus familiares completamente de surpresa. Fazia alguns dias que Thalita estava com uma forte dor de garganta e os antibióticos não estavam fazendo efeito, mas ninguém de sua família suspeitou que o exame de sangue que o médico pediu voltaria com aquele resultado: Thalita estava com leucemia.

“Confesso que fiquei muito assustada porque tudo aquilo era novo pra mim, e parecia que a ficha ainda não tinha caído. Eu pensava como seria o tratamento, como seria a minha vida dali para frente, porque eu sabia que aquela doença era muito séria.” conta a jovem.

O tratamento teve início e Thalita só queria ficar com sua mãe. Os estudos tiveram que ser interrompidos e a menina passava mais tempo no Hospital do que em sua casa. Da noite para o dia, sua vida mudou, seu cabelo começou a cair e a ficha da menina finalmente caiu. “Esse era realmente um grande desafio que eu teria que enfrentar e sabia que não seria fácil.” diz.

O grande desafio que ela enfrentou com a cabeça erguida, fé em Deus e apoio incondicional da família e amigos. Viçosa, sua cidade natal, se mobilizou em orações e ajuda de diversas formas para a jovem e seu desafio foi sendo vencido, batalha por batalha, dia após dia, com a ajuda das orações e do trabalho incansável dos profissionais da Fundação Cristiano Varella. Por duas vezes Thalita achou que não aguentaria mais, mas os amigos que fizera aqui e sua família a ajudaram a seguir e não desistir. Acreditou que viveria, que todo o trabalho dos médicos, enfermeiras, que todo o carinho que recebia dentro e fora do Hospital faria a diferença. E fez.

Aos poucos ela foi melhorando, pode voltar às aulas e se formou no Ensino Médio junto com sua turma. Sua passagem pelo Hospital do Câncer de Muriaé deixou uma marca tão profunda e de tanta esperança que ao se formar ela sabia o que tentaria no vestibular: Enfermagem!

E no dia 17 de dezembro de 2015, pouco mais de 7 anos depois do seu diagnóstico, Thalita está curada e diz: “Escolhi essa profissão pela experiência de vida que eu tive e principalmente por que na Fundação me mostraram que o cuidar com amor, carinho e dedicação é base de tudo, é essencial para a vida do paciente que está em tratamento.” finaliza.

Fonte: FCV


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre