LIRAa aponta médio risco de infestação do Aedes aegypti em Muriaé

O resultado do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 22 e 25 de outubro em Muriaé, apontou índice de infestação de 1,8, que é classificado como “médio risco”.

O LIRAa é uma metodologia que ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti e, consequentemente, identificar os criadouros predominantes e a situação de infestação do município. O índice é considerado satisfatório quando fica abaixo de 1%.

Este é o quarto e último LIRAa realizado na cidade em 2018. Os três primeiros levantamentos foram coletados em janeiro, abril e agosto, respectivamente. Os bairros e locais com os maiores índices apontados pelo LIRAa deste mês são: Recanto Verde, Gávea, Coronel Izalino, Primavera, Quinta das Flores, Vale do Castelo, São Francisco, Santo Antônio, Pontilhão, Centro, João VI, Boa Vista, Jardim das Palmeiras, Alto do Castelo, Dornelas, Barra Alegre, Santa Helena, Posto Presidente, Barra e Armação.

“Moradores destas localidades devem se mobilizar para diminuir o índice, escolhendo um dia da semana para fazer a remoção de focos do mosquito”, orienta a diretora de Saúde Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, Carla Morcerf. “Estamos entrando na época de alta transmissibilidade das doenças causadas pelo Aedes aegypti, por isso a importância da prevenção semanal em nossas casas”, completa.

Ações durante o ano todo

Embora o período de incidência de proliferação do Aedes aegypti seja entre o período chuvoso, durante todo ano a Prefeitura realiza ações de combate ao mosquito, como visitas periódicas às residências, campanhas educativas, atendimento às denúncias, entre outras. As denúncias são anônimas e podem ser feitas pelo telefone 3729-1301. Os chamados são averiguados em até 24h.

Formas de prevenir a infestação do Aedes

A melhor forma de evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya é combater os focos em locais propícios para a criação do Aedes. Para isso, é importante tomar medidas como: não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampas de refrigerantes, pneus velhos, jarros de flores, garrafas, caixas d’água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras; jogar cloro nos ralos, colocar areia em vasos de plantas e os baldes em áreas cobertas virados para baixo, limpar vasilhas de animais com esponja, entre outros.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta também o uso de repelentes no início do dia e fim da tarde, e no caso de suspeita de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a orientação é que pessoa procure imediatamente uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

Já quem for à rede particular deve pedir ao médico que faça uma notificação da suspeita da doença e envie-a à Secretaria de Saúde, para que seja feito o bloqueio e o avanço seja contido na cidade. O formulário está disponível no site do Ministério da Saúde.

Fonte: PMM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre