Secretaria de Estado de Saúde alerta para perigos do diabetes

A copeira Cristina de Cássia Oliveira, de 45 anos, descobriu o diabetes há 13 anos e passou por uma série de complicações causadas pela doença. Mesmo fazendo o uso de medicamentos, Cristina diz que não tinha consciência dos riscos que corria com o diabetes ao não seguir uma dieta equilibrada ou praticar atividades físicas. Há cerca de um ano ela frequenta o centro Hiperdia Minas de Santa Luzia, onde tem acesso a um tratamento multidisciplinar composto por uma equipe de médicos cardiologistas, endocrinologistas, clínicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais. “Eu tive diversas complicações como hipertensão, problemas nos pés e na visão, tinha uma péssima qualidade de vida. Hoje eu entendo os perigos que o diabetes pode causar e graças ao acompanhamento no Centro Hiperdia posso levar uma vida equilibrada”, afirma.

Nesta quinta-feira (26) é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Diabetes, doença que é considerada um dos principais problemas em saúde pública no mundo. Previsões para os próximos anos apontam que, em 2030, mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo terão a doença. Em Minas Gerais, estima-se que 10% da população acima de 20 anos tenha diabetes, o que corresponde a mais de um milhão de indivíduos diabéticos no estado.

O diabetes mellitus é um grupo de doenças metabólicas que tem como principal característica a hiperglicemia. Isso significa que há falta ou má absorção de insulina no organismo, substância produzida pelo pâncreas e que é essencial para a transformação da glicose (açúcar) em energia. Entre os principais sintomas da doença estão perda de peso, visão borrada, sede excessiva, fadiga, micção frequente e fome recorrente.

Segundo a referência técnica da Coordenadoria da Rede de Hipertensão e Diabetes da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Fernanda Santos Pereira, manter hábitos saudáveis como a prática de exercícios físicos e uma dieta balanceada estão diretamente relacionados à prevenção e combate da doença. “Entre os fatores de risco para o diabetes destacam-se a dieta inadequada, o sedentarismo, a obesidade e o tabagismo. Está bem definido que estratégias direcionadas a mudanças no estilo de vida, com ênfase na alimentação saudável e na prática regular de atividade física, diminuem a incidência de diabetes. O controle da obesidade, da hipertensão arterial sistêmica e do sedentarismo, além de evitarem o aparecimento do diabetes, previnem as doenças cardiovasculares”, afirma.

O diabetes se apresenta normalmente em três formas, o tipo 1, 2 e Gestacional. O tipo 1 costuma ser diagnosticado na infância, quando o organismo para de produzir a insulina, sendo necessárias injeções diárias da substância. O tipo 2 geralmente ocorre em adultos e está ligado a má alimentação, obesidade, tabagismo e sedentarismo. Já o tipo Gestacional é ocasionado pelas altas taxas de glicose no organismo durante a gravidez, com elevados riscos de desenvolvimento do diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Hiperdia Minas

Os centros Hiperdia Minas são unidades de atenção secundária à saúde da população portadora de diabetes mellitus e hipertensão arterial. Nas unidades são desenvolvidas ações voltadas para a prevenção, detecção, tratamento e controle dessas doenças, através do acompanhamento de uma equipe multi e interdisciplinar. Os usuários são atendidos na atenção primária por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e são encaminhados ao centro para o acompanhamento e tratamento da doença.

Fonte: SES-MG

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Experimentoe o Novo Livre