Teste encontra teor alcoólico em marcas de pão que poderia levar motorista a flagrante no bafômetro

Estudo encontrou teor de álcool comparado ao de bebidas alcóolicas em pão de forma. Segundo associação, produto é contaminado com uso de anti-mofo para a conservação.

Guia Muriaé no WhatsApp

Um estudo realizado pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, conhecida como Proteste, revelou que várias marcas populares de pão de forma no Brasil contêm altos teores de álcool. A pesquisa analisou dez marcas vendidas em supermercados, encontrando níveis de álcool que poderiam resultar em flagrantes por embriaguez em motoristas submetidos ao teste do bafômetro.

As marcas analisadas foram: Pulmann, Visconti, Bauducco, Wickbold 5 Zeros, Wickbold Sem Glúten, Wickbold Leve, Panco, Seven Boys, Wickbold e Plusvita. Das dez marcas, seis apresentaram níveis de álcool que, se houvesse uma classificação específica, seriam consideradas alimentos alcoólicos. O pão da marca Visconti, por exemplo, apresentou uma porcentagem de álcool de 3,37%, enquanto o da Bauducco registrou 1,17%.

De acordo com a legislação brasileira, bebidas com teor de etanol acima de 0,5% devem ser classificadas como alcoólicas, uma quantidade significativamente menor do que a encontrada nos pães analisados.

Quantidade de álcool encontrada em pães de Forma

MarcasQuantidade de álcool medida
Bauducco1,17
Visconti3,37
Panco0,51
Plus Vita0,16
Seven Boys0,50
Wickbold 5 zeros0,89
Wickbold Leve0,52
Wickbold SG0,66
Wickbold0,35
Pulmann0,05

Como o Álcool Vai Parar no Pão?

O álcool presente no pão de forma é resultado do processo de fermentação, que faz com que o pão cresça. Normalmente, quase todo o álcool produzido durante a fermentação evapora durante o assamento. No entanto, a Proteste aponta que o alto teor de álcool encontrado nos pães é devido ao uso de conservantes diluídos em álcool para aumentar a durabilidade dos produtos e evitar perdas por mofo, que representam cerca de 10% da produção total de pães no Brasil.

Riscos para Consumidores

O estudo alerta que esses pães estão chegando ao consumidor com níveis de álcool comparáveis aos de bebidas alcoólicas, sem qualquer advertência nos rótulos. Isso representa um risco significativo, especialmente para crianças e gestantes, que podem estar consumindo álcool sem conhecimento.

Pela lei, um teste do bafômetro não pode passar de 0,04 mg/l. De 0,05 mg/l a 0,33mg/l é considerada infração gravíssima e acima disso crime de trânsito.

Na pesquisa, a associação analisou o risco de um motorista ultrapassar o limite no teste depois de comer duas fatias de pão. Três marcas representaram risco.

Pães que fariam motoristas serem pegos no bafômetro

MarcaQuantidade de álcool em porção de duas fatias
Visconti1,69
Bauducco0,59
Wickbold 5 zeros0,45

Reações das Empresas

As empresas responsáveis pelas marcas analisadas foram contatadas para comentar os resultados do estudo. Até o momento, a Proteste destaca a necessidade de regulamentação mais rigorosa e transparência para garantir a segurança dos consumidores.

Bauducco e Visconti

A Pandurata Alimentos, responsável pela fabricação dos produtos Bauducco e Visconti, esclarece que adota rigorosos padrões de segurança alimentar em todo seu processo produtivo e na cadeia de fornecimento. A empresa possui a certificação BRCGS (British Retail Consortium Global Standard), reconhecida como referência global em boas práticas na indústria alimentícia, e segue toda a legislação e regulamentações vigentes.

Panco

A Panco é uma empresa com mais de 70 anos de presença no mercado brasileiro e que sempre teve sua atuação pautada pela conduta ética e compromisso com a qualidade de seus produtos, bem como com a saúde e segurança de todos os seus públicos.

A companhia atesta a adoção de práticas totalmente alinhadas aos mais rigorosos padrões de mercado e o cumprimento de todas as normas e legislações específicas vigentes para a produção de alimentos. Para assegurar esses padrões, a companhia possui rígidos controles de qualidade (internos e envolvendo fornecedores externos), além de estabelecer mecanismos criteriosos de homologação de seus fornecedores de matérias-primas.

A respeito do estudo da Proteste, a Panco informa que não foi notificada em nenhum momento pela responsável pelo levantamento, desconhecendo, portanto, sua metodologia. Além disso, esclarece que não utiliza etanol na fabricação do pão, mas que ele pode resultar do processo de fermentação, sendo que os resíduos não intencionais são aceitos pelas normas e legislações vigentes.

A empresa reitera o seu compromisso com a qualidade de seus produtos e está empenhada em realizar análises complementares para entender os pontos levantados e avaliar a necessidade de eventuais adaptações em seus processos.

A Panco também esclarece que seus produtos chegam, nas grandes lojas, até no máximo 48 horas depois de produzidos, garantindo a maciez, frescor e sabor que os consumidores merecem.

Wickbold

O Grupo Wickbold, que detém a marca de mesmo nome e a Seven Boys, reforça que todas as receitas de produtos, assim como todas as áreas da empresa, seguem protocolos de segurança e qualidade, com o mais alto teor de controle, bem como cumpre toda a legislação vigente, dentro dos parâmetros impostos pelas normas estabelecidas. Como a fabricante não foi notificada sobre o referido estudo e a metodologia utilizada, não é possível qualquer manifestação sobre ele. Contudo, após ter acesso ao mesmo e a metodologia empregada, poderá prestar os esclarecimentos que se fizerem necessários, confirmando o legado de ética, transparência e respeito às pessoas que mantém há 86 anos.

Fonte: Guia Muriaé, com informações do G1

WhatsApp Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754
Seguir o Guia Muriaé no Google News
📲 Acompanhe o GUIA MURIAÉ - Facebook / Instagram / Telegram / Threads / TikTok / Twitter / YouTube / WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Guia Muriaé no WhatsApp
Botão Voltar ao topo