Vacinação contra covid-19 começa nesta segunda-feira

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou hoje (18) que a vacinação contra o novo coronavírus começará nos estados ainda nesta segunda-feira. Ele disse que a previsão é que a distribuição das doses da vacina com uso de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) ocorra até as 14h de hoje, e que as primeiras aplicações sejam feitas até as 17h.

Ao lado de governadores, Pazuello participou, nesta manhã, do ato simbólico de entrega de 4,6 milhões de doses da CoronaVac no Centro de Logística do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. As vacinas serão transportadas por via aérea para o Distrito Federal e as capitais de dez estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina. Também há previsão de distribuição de vacinas por via terrestre.

Segundo o ministro, o Instituto Butantan receberá um ofício pedindo celeridade no envio do pedido de autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a produção de mais 2 milhões de doses da CoronaVac. A documentação deve ser analisada até 31 de março.

Ele reforçou que os primeiros a receber as doses da vacina serão integrantes do grupo prioritário: profissionais da saúde, idosos e indígenas. Pazuello destacou, ainda, que os cuidados com uso de máscara e álcool em gel não podem ser deixados de lado. “A vacina não determina o fim das medidas protetivas”, disse.

Insumos para a campanha de vacinação da covid-19 já estão sendo distribuídos aos 853 municípios

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) tem a desafiadora missão de fazer chegar a 3.451 salas de vacinação distribuídas em 853 municípios com realidades distintas – enquanto a capital tem 2,5 milhões de habitantes, Serra da Saudade tem 781 – 50 milhões de seringas agulhadas para a campanha de imunização contra a covid-19.

Deste total, 20 milhões já chegaram ao estado e 5,5 milhões já viajam rumo às 28 regionais de saúde por meio de caminhões baús dos Correios com os quais a Secretaria fez contrato de exclusividade. Para atender cada regional são necessários dois destes veículos de 16 metros de comprimento.

De Abadia dos Dourados a Wenceslau Braz; de Juvenília – no extremo Norte de Minas Gerais – ao município de Camamducaia, no sul do estado, todos os municípios serão devidamente abastecidos pela SES-MG para a campanha de vacinação contra o novo coronavírus.

Segundo a subsecretária de Vigilância em Saúde Janaina Passos de Paula, a distribuição dos insumos impõe desafios, como um contexto social atípico e a escassez de itens no mercado. “Por isso, no final do mês de julho, demos início ao processo de compras para aquisição das seringas e agulhas e, atualmente, estamos na fase de recebimento escalonado e dispersão dos itens para as unidades regionais de saúde. Quando as vacinas contra a covid-19 chegarem, os municípios estarão abastecidos com o insumo para darem início à vacinação”, avalia Janaina.

A logística para organizar a imunização da população contra o SARS Cov-2 será semelhante à utilizada nas campanhas contra a Influenza: as seringas agulhadas saem do almoxarifado da Secretaria e da Rede Estadual de Frio do estado. A partir destes pontos são transportados a cada uma das regionais de saúde, que contactam os municípios. Eles são responsáveis por providenciar o recolhimento e armazenamento adequado dos materiais. Para este acondicionamento ideal, inclusive dos imunizantes que ainda não foram definidos pelo Ministério da Saúde, a SES-MG providenciou o reforço da segurança e da rede elétrica da Rede de Frio central e adquiriu 617 câmaras frias, com capacidades entre 200 e 400 litros, que deverão ser entregues, pelos fabricantes, nas localidades determinadas. Nestes equipamentos foram investidos R$ 4 milhões.

Para o sucesso da distribuição de insumos será necessário até mesmo estar em dia com a meteorologia para evitar que os caminhões transportadores fiquem presos em alguma parte do trajeto: até março, no Brasil, é verão, portanto, temporada de chuvas. Defesa Civil, Bombeiros, Exército e Polícia Militar prestarão apoio logístico às operações, que poderão contar, também, com aeronaves.

A coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Josianne Dias Gusmão, reforça que a partilha de seringas, agulhas e vacinas será feita de forma equânime, com o quantitativo calculado conforme os grupos populacionais prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, de forma que nenhum município receba mais ou menos itens ou imunizantes. “A logística é cuidadosamente estabelecida para que o processo favoreça, sem distinção, a toda população”, assegura Josianne.

De onde vem as seringas e agulhas

De Manaus, na fábrica Saldanha Rodrigues, para Minas Gerais; 2.860 quilômetros é a distância que as seringas agulhadas, que têm validade de cinco anos, percorrem por meio de balsa, pelo rio Amazonas, estradas de terra e rodovias, antes de serem entregues nos almoxarifados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. A previsão é de que até meados de março os 50 milhões de itens adquiridos por meio de licitação não emergencial com investimento de R$ 35,15 milhões cheguem ao estado.

Fonte: Agência Brasil / SES-MG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo