Esportes da mente ajudam a manter cérebro ativo

Muito já se sabe sobre os benefícios para a saúde proporcionados pela prática regular de exercícios físicos aliada a uma alimentação saudável. Menos difundidas, porém, são as vantagens associadas à prática dos esportes da mente. Nos últimos 20 anos, uma série de estudos científicos rigorosos tem demonstrado como eles contribuem diretamente para a melhoria das funções cognitivas ao longo da vida e a prevenção do envelhecimento precoce.

De acordo com a Associação Internacional de Esportes da Mente (IMSA, na sigla em inglês), os esportes da mente podem ser definidos como aqueles que medem a capacidade e o desempenho cognitivo de seus participantes. Ou seja, o objetivo deles é testar a força mental dos jogadores – e não sua força física. Entre as modalidades reconhecidas oficialmente no Brasil desde 2017 estão o xadrez, as damas, o bridge, o poker e o Go, um jogo de tabuleiro bastante praticado no oriente.

Engana-se quem pensa que os esportes da mente são apenas para aquelas pessoas consideradas boas de matemática ou extremamente inteligentes, qualquer um pode praticá-los. Basta um pouco de boa vontade e certa dedicação – tal como boa parte das atividades que precisam de estudo. Descubra abaixo quais são alguns dos principais benefícios dos esportes da mente para ajudar a manter o cérebro ativo e saudável:

Melhorar o desempenho cognitivo e a tomada de decisões

Como os jogos de poker requerem um alto nível de pensamento crítico, assim como boas doses de estratégia, eles ajudam a estimular a área do cérebro responsável pela cognição, que é conhecida como córtex pré-frontal. Seu papel inclui a regulagem das emoções e do comportamento, assim como a habilidade de adquirir e receber conhecimento.

Um estudo francês, que foi realizado em 2009 e envolveu 5 mil participantes, mostrou que praticar poker regularmente conseguiu reduzir em até metade as chances de os participantes virem a desenvolver doenças cognitivas degenerativas relacionadas à velhice, quando combinado com a prática frequente de exercícios e uma alimentação variada.

Isso porque uma partida de poker é como um grande quebra-cabeça que precisa ser resolvido rapidamente, visto que os oponentes estão constantemente alterando os parâmetros do jogo. Ao contrário do xadrez, cujas peças ficam visíveis para todos e não correm o risco de aparecer ou desaparecer aleatoriamente do tabuleiro, o poker é um jogo de informações incompletas que envolve a tomada rápida de decisões e uma o controle das emoções.

Desenvolver as habilidades dedutivas e de raciocínio

As descobertas iniciais de uma pesquisa da Universidade de Stirling, na Escócia, apontam que o bridge é outro esporte da mente com impactos positivos ao longo da vida no bem-estar mental e no envelhecimento saudável de seus praticantes. Ele é considerado um dos jogos mais complexos que existem – tanto que os computadores nunca conseguiram vencer um campeão mundial bridge, ao contrário do que já aconteceu no xadrez duas décadas atrás.

Segundo a professora que lidera o estudo, Samantha Punch, da Faculdade de Ciências Sociais, o bridge desenvolve uma variedade de habilidades dedutivas e de raciocínio, assim como promove a interação social e a comunicação. Além disso, jogos que requerem o uso da memória como o bridge e o Go garantem uma melhor qualidade de vida aos idosos, segundo os especialistas.

Exercitar os dois lados do cérebro

Um estudo alemão demonstrou que tanto o hemisfério direito do cérebro quanto o esquerdo se tornam bastante ativos entre aqueles que praticam o xadrez de forma regular, devido às características formais do jogo, que envolve inúmeras regras, movimentos e técnicas.

Durante o experimento, os pesquisadores mostraram a enxadristas veteranos e iniciantes tanto formas geométricas simples quanto posições de xadrez para então medir suas reações ao identificá-las. Os cientistas acreditavam que o lado esquerdo do cérebro dos jogares mais experientes ficaria muito mais ativo, porém não esperavam que o mesmo acontecesse com o outro hemisfério.

O tempo de reação de ambos os grupos às formas simples foi o mesmo, mas os veteranos usavam os dois lados do cérebro para responder mais rapidamente às questões relativas a posições do xadrez. Isso acontece porque o hemisfério esquerdo do cérebro processa o reconhecimento de objetos, ao passo que o direito trabalha com o reconhecimento de padrões.

Promover a paciência, a disciplina e a receptividade

Uma equipe de pesquisadores da China e dos Estados Unidos estudou os benefícios de se jogar Go e chegou à conclusão que ele incentiva o desenvolvimento de habilidades mentais como a paciência, a disciplina e a receptividade, assim como métodos de pensamento que não são facilmente aprendidos de outras maneiras. Disputado entre dois jogadores, o Go é um jogo de tabuleiro originário da China e acredita-se que tenha sido inventado há cerca de 2.500 anos atrás.

O estudo mostrou que durante o jogo muitas áreas do cérebro ficam significativamente mais ativas do que quando se olha para um quadro vazio (tarefa de fixação). Essas áreas incluíam as partes do cérebro associadas à concentração e a atenção, a percepção espacial, a manipulação de imagens e os processos de memória – incluindo o armazenamento da memória de trabalho e a recuperação da memória episódica. Além disso, as áreas do cérebro responsáveis pelo movimento também ficaram mais ativas, embora as tarefas não envolvessem estímulos sensoriais ou movimentos corporais.

Bastante acessíveis e fáceis de serem praticados, os esportes da mente não só oferecem uma ótima opção de diversão como também podem ajudar a manter o cérebro ativo e saudável ao longo da vida. Seus benefícios são comprovados pela ciência e qualquer pessoa que busque melhorar suas funções cognitivas ou prevenir o envelhecimento precoce pode começar a praticá-los.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre