Reforma administrativa do Executivo é aprovada por unanimidade



A reforma administrativa do Poder Executivo de Muriaé foi aprovada por unanimidade pelos vereadores, em reunião extraordinária realizada na noite de hoje (4), na Câmara Municipal. O texto deverá ser sancionado pelo prefeito Grego já nesta quinta-feira (5).

– Parabenizo todos os vereadores de nosso município que, nesta primeira sessão legislativa de 2017, aprovou o novo organograma da nossa estrutura administrativa. A aprovação por unanimidade é a grande prova dada pelos parlamentares de que todos, sem exceção, sempre estarão aptos a aprovar o que for bom para nossa cidade. Agradeço imensamente a cada vereador e vereadora por isso – afirma Grego.

A nova estrutura administrativa da Prefeitura de Muriaé ratifica a fusão entre secretarias municipais, criando um novo organograma de cargos e funções. De acordo com o prefeito, a reforma será responsável por proporcionar uma economia de cerca de R$2 milhões por ano aos cofres do município.

Projetos vão garantir uma grande economia na Administração Municipal

A primeira reunião dos vereadores de 2017, convocada de forma extraordinária pelo novo presidente Carlos Delfim (PSDB), contou com a presença de 15 dos 17 vereadores eleitos. A primeira sessão presidida pelo vereador mais votado de Muriaé no último pleito teve início com a posse da vereadora suplente Helena Carvalho (PMDB) que assumiu a cadeira do vereador Manoel Carvalho (PMDB) que passou a integrar a atual Administração Municipal no cargo de Secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente. Foram votados cinco projetos enviados pelo Executivo Municipal que visam uma reestruturação da Administração e a abertura de crédito adicional especial.

Após a apresentação do primeiro projeto, o vereador Jair Abreu (PT) pediu vistas justificando que o tempo para a análise dos projetos foi pequeno, já que os recebeu no final do dia anterior a data desta sessão. O pedido de vistas não foi aceito pela maioria dos vereadores que passaram para a votação dos projetos. Mas, antes da votação, os vereadores Reginaldo Roriz (PSD), Dr. José Carlos (PSB), David Lacerda (DEM), Helena Carvalho (PMDB) e Professor Júlio Simbra (DEM) apresentaram argumentos em defesa da votação e aprovação dos projetos que, embora, realmente tenham sido apresentados muito próximo a votação, como todos admitiram, tratam de mudanças significativas para que a nova Administração Municipal possa implementar o planejamento de gestão elaborado com o objetivo de reestruturar o organização da administração direta e indireta, dando início aos trabalhos da gestão 2017-2020.

Muitos argumentos favoráveis foram destacados, como a necessidade urgente de implementação das mudanças propostas que resultarão em grande economia ao município. Foi destacada ainda a natural dificuldade enfrentada por toda administração em seu início de governo em adequar a estrutura administrativa a suas propostas de trabalho e gestão no curto espaço de tempo que possui entre a transição e início efetivo dos trabalhos. Após a explanação dos vereadores, a Doutora Míriam (PSDB) se pronunciou a favor da votação e aprovação, diante das explicações que foram apresentadas de forma clara, principalmente, segundo a vereadora, pelo colega Professor Júlio Simbra (DEM).

Os cinco projetos foram votados e aprovados por unanimidade dos vereadores presentes possibilitando que a administração municipal possa implementar efetivamente a nova gestão. O vereador Jair Abreu voltou a fazer uso da tribuna para explicar que seu objetivo ao pedir vistas não era o de criar problemas para a administrar, mas sim promover o debate, como ocorreu, a fim de que possam deixar a população, principalmente os presentes, esclarecidos e cientes do independência e do comprometimento de todos os vereadores para com o bem público. O novo presidente Carlos Delfim (PSDB) encerrou a sessão com todos os projetos discutidos, votados e aprovados.

Fonte: Prefeitura de Muriaé / Câmara Municipal de Muriaé



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.