Projeto que integra Polícia Militar e Civil chega a Juiz de Fora, Leopoldina e Muriaé



O chefe do 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora, Rogério de Melo Franco Assis Araújo, anunciou na quarta-feira (26) que um projeto de integração entre a Polícia Militar e a Civil, que está sendo experimentado em Ubá, na Zona da Mata, será expandido para Juiz de Fora, Leopoldina e Muriaé. Na próxima semana haverá uma reunião com tenentes-coronéis e demais delegados para impulsionar a implantação desse projeto.

O sistema funciona com o auxílio do Skype, por meio do qual o policial aciona e consulta o delegado. “É possível visualizar a ocorrência e os materiais apreendidos. E, por esse sistema, o despacho do delegado é lançado no próprio Registro de Eventos de Defesa Social (Reds)”. Hoje, quando alguém é preso em uma cidade em que não há plantão da Polícia Civil na localidade, o policial tem que levar o suspeito até o município onde fica a delegacia regional de plantão.

Ele explicou ainda que, em casos mais simples, o sistema evita o deslocamento do policial militar no caso de haver um plantão regionalizado, evitando que a cidade fique desprovida de policiamento, além de agilizar o trabalho. “Evitando o deslocamento do policial de uma cidade menor, ele poderá fazer um trabalho previsto para a Polícia Militar que é o policiamento ostensivo”, afirmou.

Fonte: G1 / Foto: Silvan Alves

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.