Secretaria de Saúde investe R$ 7,1 milhões na construção de UTIs Neonatal



Secretaria de Saúde investe R$ 7,1 milhões na construção de UTIs Neonatal

Em reunião realizada nessa quarta-feira (5) na sede da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) foi assinado um termo de cooperação técnica, que destina recursos para equipagem, construção, reforma e/ou ampliação de UTI neonatal e pediátrico em 10 hospitais na RMBH e interior do Estado.

As instituições que receberão em três parcelas o repasse são os hospitais Imaculada Conceição, de Curvelo (R$ 361.059,12); Fundação Hospitalar Dr. Moisés Magalhães Freire, de Pirapora (R$ 758.719,24) e o Hospital e Maternidade Vital Brasil, em Timóteo (1.225.449,93). E, ainda, a Maternidade Municipal, de Contagem (R$ 399.796,00); Hospital Nossa Senhora das Dores, de Ponte Nova (R$ 1.133.806,80) e de Itabira (R$ 805.000,00); Hospital Santo Antônio, de Taiobeiras (R$ 774.701,07); Santa Casa, de Araxá (R$ 1.172.160,00); Hospital Santa Rosália, de Teófilo Otoni (R$ 70.000,00) e Hospital Cesar Leite de Manhuaçu (R$ 477.072,29). O valor total do investimento é de R$ 7.1 milhões.

Durante o encontro, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, ressaltou que esse investimento retrata a preocupação do Governo de Minas com relação ao cuidado e saúde materno-infantil, revelada com a criação dos programas Viva Vida e, mais recentemente, com a criação do Mães de Minas. “A criação de leitos de UTI neonatal modernos e equipados é uma das nossas armas para melhorar cada vez mais os indicadores de mortalidade infantil em Minas. O cuidado com o recém-nascido é uma das nossas prioridades”.

Atualmente, Minas Gerais conta com 511 leitos de UTI neonatal disponíveis. Com a conclusão dos 102 novos leitos, o cenário de déficit dessas unidades no Estado mudará positivamente caindo para 1 (um) leito quando avaliados isoladamente. “Com a celebração dos convênios, o Estado investe em novos leitos de UTI neonatal e pediátrico, disponibilizando um quantitativo maior para a população. A ampliação contribuíra para uma diminuição dos vazios assistenciais e para um melhor atendimento ao recém-nascido em situação de risco e que necessite de atendimento intensivo”, disse a coordenadora Estadual de Terapia Intensiva, Shelley Pereira.

Seleção para financiamento

Em agosto de 2011, o Estado de Minas Gerais tornou pública a seleção para financiamento de projetos de equipagem, construção, reforma e/ou ampliação das Unidades de Terapia Intensiva neonatal e pediátrica. De acordo com o edital, a execução fica por conta dos hospitais que são referência para o atendimento à gestante de alto risco no Estado (Edital de seleção de projetos nº19 projetos de Unidades de Terapia Intensiva neonatal e pediátrica no Estado de Minas Gerais).

Os projetos apresentados foram avaliados segundo critérios do Edital de UTI nº19, no qual 21 entidades foram classificadas. Seguindo a ordem de classificação, 10 entidades foram contempladas, no ano de 2012, por meio de convênio.

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.