Mulher assediada leva o maior susto na delegacia: assediador era “namorado” do marido dela

Pedreiro acusado de importunação sexual. Foto: Polícia Civil
Imagine a cena: uma mulher passou a receber mensagens de cunho sexual no celular e chamou a polícia. Tudo sem o marido saber. Com orientação da polícia, ela foi ao encontro com o assediador, que acabou preso. Na delegacia, a polícia descobriu (e contou para a mulher) que o criminoso era parceiro sexual do marido da vítima há anos.

Parece história de novela, mas o caso aconteceu em Curitiba, no Paraná. Uma professora de 41 anos, casada, mãe de dois filhos, decidiu denunciar um homem que vinha a assediando por um aplicativo de mensagens e acabou descobrindo que o asseadiador, o pedreiro Jean Carlos Neves, 51 anos, é que o criminoso era parceiro sexual do marido dela há anos. O pedreiro e o marido dela acabaram presos, pois teriam armado uma situação contra a vítima.

Os assédios começaram no dia 15 de abril, quando a vítima passou a receber várias mensagens de cunho sexual do pedreiro, que dizia querer marcar um encontrou com ela. A mulher ficou muito nervosa e sem saber o que fazer. Durante a troca de mensagens com o autor, ela tentou entender o que estava acontecendo. Nesse ínterim, ela acionou a polícia.

Com medo da reação de seu marido, que era bastante ciumento, ela não contou nada para ele. A professora entregou aos policiais vasto arquivo, entre mensagens, fotos, áudios e vídeos do pedreiro a assediando. Os policiais orientaram a vítima a marcar um encontro na última sexta-feira (16), na tentativa de pegar o acusado.

Seguindo as orientações dos policiais, a vítima foi até ao local marcado, junto com uma amiga e a polícia. Logo que ela mencionou que sairia do local com o autor, a polícia entrou em ação e prendeu o homem em flagrante pelo crime de importunação sexual.

O delegado Rinaldo Ivanike, do 10º Distrito Policial de Curitiba, contou à imprensa local que quando os investigadores vasculhavam o celular de Jean, encontraram mensagens muito comprometedoras: ele era parceiro sexual do marido da vítima assediada. Os policiais ainda descobriram que foi o próprio marido que passou o telefone da professora a Jean, que a partir das coisas que o parceiro falava, também ficou com vontade de ter relações sexuais com a professora.

No final das contas, o marido da professora também foi preso pelo mesmo crime. O parceiro sexual dele também era caso.

Quando soube da história, a mulher entrou em estado de choque. Ela começou a chorar e falar incessantemente, não entendo porque o marido tinha tramado isso com ela.

Ela desconfia que o relacionamento extraconjugal do marido possa ter começado depois que o filho mais novo deles nasceu.

Assista a reportagem do programa Cidade Alerta do Paraná:

Fonte: Guia Muriaé, com informações da Ricmais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo