Pedido para retirar dinheiro esquecido começa hoje; confira os 5 passos para saber valor e resgatar

O Banco Central (BC) divulgou o passo a passo para as pessoas físicas e jurídicas que têm dinheiro esquecido nos bancos saberem o valor e pedirem a transferência do dinheiro a partir da próxima segunda-feira, dia 7, quando os recursos começam a ser liberados.

Tanto a consulta para saber se tem dinheiro esquecido nos bancos quanto o pedido de resgate têm de ser feitos pelo Sistema Valores a Receber (SVR) do BC. Para isso, bastar digitar o CPF (pessoas físicas) e a data de nascimento ou CNPJ (empresas) e data de abertura da empresa.

No total, 28 milhões de brasileiros têm direito de pedir resgate na primeira fase de devoluções programada pelo SVR. A seguda fase começa no dia 2 de maio.

No total serão devolvidos cerca de R$ 8 bilhões, metade em cada fase.

Calendário de saque

Os saques serão liberados de acordo com as datas de nascimentos dos clientes ou da criação das empresas.

Os clientes que nasceram antes de 1968, por exemplo, saberão o valor exato que poderá ser resgatado e solicitar as transferências entre os dias 7 e 11 de março.

Já os nascidos após 1983, a liberação ocorrerá entre 21 e 25 de março. Quem perder a data agendada, tem de esperar a repescagem.

Quem também perder seu sábado de repescagem, poderá solicitar o resgate do saldo existente a partir de 28/03/2022. E mesmo que não consulte o SVR ou solicite o resgate do saldo existente em todas essas datas, o dinheiro continuará guardado o cliente, segundo o site do BC.

Veja o calendário:

Antes de 1968 – 7 a 11/03 – 12/03
Entre 1968 e 1983 – 14 a 18/03 – 19/03
Após 1983 – 21 a 25/03 – 26/03

Para conseguir sacar o dinheiro, o contribuinte deve acessar o SVR na data e hora marcadas pelo Banco Central no momento da primeira consulta feita ao sistema.

Cinco passos para resgatar o dinheiro esquecido nos bancos

Passo 1 – Acesse o site SVR – Clique aqui

* O acesso ao site deve ser feito na data e horário informados pelo BC na primeira consulta que o cliente fez para saber se tinha dinheiro esquecido nos bancos.
* Se o cliente ainda não souber o dia exato do resgate ou se perdeu a data, é possível fazer o resgate a qualquer momento.

Passo 2 – Faça o login com sua conta gov.br

* É preciso ter nível prata ou ouro no sistema para conseguir ter acesso ao dinheiro
* Se o cliente ainda não possuir conta nesse nível, é preciso elevar o nível de segurança por meio do site ou aplicativo.
* O cidadão não deve deixar essa atualização para o dia do resgate.

Passo 3 – Leia o termo de responsabilidade

* Para ter acesso ao dinheiro, é preciso ler o termo de responsabilidade e aceitá-lo.

Passo 4 – É hora de consulta

O sistema do Banco Central vai mostrar:

* o valor a receber;
* a instituição que deve devolver o valor;
* a origem (tipo) do valor a receber; e
* informações adicionais, quando for o caso.

Passo 5 – Clique em uma das opções que o sistema indicar

* “Solicitar por aqui” – significa que a instituição oferece a devolução do valor via Pix no prazo de até 12 dias úteis
* Selecione uma das chaves Pix e informe os dados pessoais;
* Guarde o número de protocolo, se precisar entrar em contato com a instituição
* “Solicitar via instituição” – significa que a instituição não oferece a devolução por Pix no prazo de até 12 dias úteis
* Neste caso, entre em contato pelo telefone ou email informado para combinar com a instituição a forma de devolução do valor

Consulte apenas os canais de atendimento do BC que aparecem na tela de informações dos Valores a Receber. Basta clicar no nome do canal.

Como os bancos vão devolver?

Antes de mais nada, é importante os brasileiros saberem que poderão pedir a transferência do valor liberado, sem ter de pagar tarifas.

Segundo o BC, não há valor mínimo ou máximo de resgate. Mesmo aqueles que tiverem centavos a receber poderão fazer a transferência.

Os bancos têm até 12 dias para devolver os valores, a partir da data do pedido do cliente, via PIX. Se a instituição financeira não aderiu ao pagamento por este modelo deve transferir via DOC ou TED, no mesmo prazo.

Alguns bancos oferecem o pagamento diretamente em seus sites e aplicativos, que é dirigido ao site do BC. Outros que não aderiram ao acordo de pagamento com o Banco Central podem oferecer a opção “Solicitar via instituição”, em que o cliente deve solicitar o pagamento diretamente ao banco.

Fonte: CUT, com informações do site do BC e da Agência Brasil

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo