Autoridades debatem medidas socioeducativas para adolescentes de Muriaé

Profissionais dos CREAS, Conselheiros Tutelares, professores, assistentes sociais e demais parceiros se encontraram para participar do Seminário Orientações sobre Aplicação das Medidas Socioeducativas, nesta manhã de quarta-feira, 20 de novembro, no Grande Hotel Muriahé. Para debater sobre os Aspectos Jurídicos, o convidado foi o promotor da Infância e da Juventude, Fábio Rodrigues Laureano e, para esclarecer sobre a Execução das Medidas Socioeducativas em meio aberto, a palestrante foi a psicóloga do Creas, Cintia Bittencourt Muglia.

Durante o Seminário, o promotor Fábio Laureano ressaltou a questão da impunidade e a falência dos valores familiares como sendo a principal causa dos problemas e delitos causados pelos adolescentes encontrados pelas ruas da cidade.

Segundo ele, as medidas socioeducativas são essenciais para o sistema funcionar, pois vê no Brasil um momento difícil no que diz respeito as garantias dos direitos individuais: “Fazer necessidades humanas em plena rua, pedir dinheiro nas margens dos escadões e, caso o pedestre não dê, pode ser agredido”. Alerta ele, precisamos adotar medidas drásticas a favor destas pessoas para que elas sejam direcionadas para a escola, para acompanhamentos com assistentes sociais, em ambientes educativos.

A psicóloga Cintia Muglia explicou que hoje a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, através do Creas, conta com uma equipe interdisciplinar composta por coordenadora, assistente social, psicóloga, advogado e monitor de oficinas, os quais realizam os atendimentos com os adolescentes em conflito com a lei. Até o momento, cerca de 436 medidas socioeducativas já foram aplicadas.

A política de atendimento ao adolescente só irá atingir os objetivos de ressocialização através do trabalho em rede que articule todas as políticas públicas: saúde, educação, segurança pública entre outras ações práticas para reintegrar o jovem as salas de aula, às atividades esportivas, a uma boa leitura, ou mesmo nos variados cursos profissionalizantes oferecidos no município de Muriaé.

A secretária de Desenvolvimento Social, Cláudia Aquino, destaca que o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) configura-se como uma unidade pública, que oferece serviços especializados e continuados as famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos (violência física, psicológica, sexual, tráfico de pessoas, evasão escolar, entre outros).

Fonte: Prefeitura de Muriaé


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo