Comerciantes de Muriaé pedem ampliação de horário de funcionamento e direito a “voz” no Comitê

Foto: Guia Muriaé
A discussão sobre o funcionamento dos comércios em Muriaé segue em alta na cidade. Após o anúncio do prefeito nesta semana sobre a reabertura gradual, um grupo de comerciantes pede que o horário seja ampliado, evitando assim possíveis aglomerações.

O grupo, intitulado Aliança Comercial Associados de Muriaé, ainda protocolou um documento na Prefeitura Municipal pedindo a participação de seus membros nas reuniões do Comitê Gestor Covid-19, para que possam ser ouvidos e até mesmo contribuir nas decisões do Comitê.

Confira o documento protocolado na íntegra:

A presente associação dos comerciantes de Muriaé, vem mui respeitosamente solicitar às autoridades responsáveis pelas reuniões deliberativas do Comitê Gestor Covid-19, a participação de nossos representantes, até 3 integrantes, nas mesmas para democraticamente, ser ouvidos e contribuir para as decisões que afetam os cidadãos muriaenses, tanto na prevenção e preservação da saúde e da vida, quanto na economia e sobrevivência dos trabalhadores e empresários locais.

Insta salientar, que, o debate deve se estender aos interessados, e que pacificamente exporemos nossas opiniões e demandas, fundamentadas e com exemplos que podem e devem ser apreciados.

A pauta da Associação é simples e única. Que se abra todo o comércio com horário de atendimento ampliado. É plausível tal medida, uma vez que restringir, reduzir o mesmo, privilegia a aglomeração de pessoas, pois o tempo para o consumidor desempenhar suas atividades estará limitado, e as medidas de segurança sanitária inviabilizam uma maior dinâmica no atendimento.

Com o horário de atendimento expandido, as aglomerações se dissiparão, e o controle do fluxo de pessoas fica mais passível. Ainda fará com que o ato “sair para desestressar” se amenize, pois o próprio sentimento de normalidade atenuaria o efeito psicológico negativo da impressão de cárcere.

Todos os comerciantes estão dispostos a contribuir para a redução dos impactos causados por esta crise sanitária, como já o vinham fazendo. Se faz necessário a aplicação dos princípios da isonomia e proporcionalidade nas decisões. Os efeitos sobre os pequenos empresários estão sendo devastador, e o sentimento de injustiça sobre os mesmos, principalmente pela enérgica fiscalização atribuída a quem desesperadamente precisa defender a saúde e segurança financeira de seu empreendimento, de sua família, de seus funcionários e das famílias dos mesmos.

Saibam que, todo trabalho que provê o pão de cada dia é essencial. Aguardamos ansiosamente o deferimento do estimado pleito.

Fonte: Guia Muriaé


Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre