Home / Notícias / Cidade / Instituto Rio Muriaé emite nota a respeito do início da estação das chuvas em Muriaé

Instituto Rio Muriaé emite nota a respeito do início da estação das chuvas em Muriaé

Início da estação das chuvas em Muriaé




O Instituto Rio Muriaé manifesta preocupação com o início da estação chuvosa em Muriaé. Na área rural, as chuvas foram muito bem vindas, colocando fim a um período de estiagem, com dias excessivamente quentes no final de outubro. No entanto, as primeiras precipitações evidenciaram que, principalmente na área urbana da sede do município, a cidade ainda não está preparada para enfrentar sequer as chuvas médias. A ocorrência de enxurradas e alagamentos em vários bairros, além do rápido aumento do nível das águas do Rio Muriaé, que está em acentuado estado de assoreamento, trouxeram apreensão e pânico à população. Afinal, o grosso da chuva está para cair e muitos ainda carregam traumas relativos a enchentes recentes.

A população tem contribuições importantes a fazer neste momento de crise, evitando consequências piores das chuvas. A primeira e mais importante é desocupar áreas de risco. Também pode parar de jogar lixo nas ruas e no próprio rio, participando mais das decisões públicas que afetam o Rio Muriaé e a cidade. A administração pública pode contribuir, realocando a população que vive nas áreas de risco e providenciando imediatamente a limpeza de bueiros e galerias pluviais. A prefeitura também pode cessar e impedir a construção de obras às margens do rio e encostas; montando um plano de contingência efetivo, que saia do papel. Os órgãos fiscalizadores podem ajudar, coibindo imediatamente as construções irregulares e o desmatamento.

Outras ações que visam reter as águas das chuvas nas áreas rurais e urbanas precisam ser tomadas em breve e somente trarão benefícios em médio prazo. A captação de água de chuva nas áreas urbanas, como já acontece em várias cidades, é uma proposta que precisa ser discutida e aprovada sem demora em Muriaé. A crescente impermeabilização do solo urbano, causado pelo asfaltamento de ruas e avenidas, e das praças, com obras inadequadas, ajudam a agravar o quadro das cheias.

Há medidas que evitam que a maior parte da água das chuvas escoe rapidamente ao Oceano Atlântico, causando os prejuízos que temos visto mais amiúde nos últimos anos. Elas devem propiciar inclusive a transferência de renda ao homem do campo pela produção de água limpa, como já acontece em Nova York e algumas cidades de Minas Gerais. Cumpre observar que a grande maioria dos proprietários rurais hoje está descapitalizada e sem motivação, migrando para a cidade.

Não é demais lembrar que a água é indispensável à nossa sobrevivência e o seu correto manejo contribui imensamente para o desenvolvimento sustentável.

O Instituto Rio Muriaé, entidade apartidária e sem fins lucrativos, reafirma o seu objetivo principal de buscar a saúde integral da bacia e sub-bacias do Rio Muriaé. Uma de nossas áreas de atuação é trazer informações sobre o “Nosso Rio”. Acreditamos na máxima de que ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas todos podem começar agora a construir um novo fim.

Fonte: Instituto Rio Muriaé

Confira também

SINE de Muriaé tem 7 vagas com salários de até R$ 1.800

O Sistema Nacional de Emprego (SINE) em Muriaé disponibiliza nesta quarta-feira (19/12) um total de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *