Portal da Transparência da Prefeitura de Muriaé ainda é pouco conhecido pela população



Portal da Transparência da Prefeitura de Muriaé ainda é pouco conhecido pela população

Lançado há pouco mais de um ano, o Portal da Transparência da Prefeitura de Muriaé ainda é pouco conhecido pela população. Em pesquisa realizada no Facebook, a maior parte das pessoas ouvidas relataram não conhecer a ferramenta, alguns ouviram falar da mesma, porém poucos já a usaram.




O Portal da Transparência oferece ao cidadão a chance de fiscalizar todas as ações governamentais, é possível se visualizar as receitas ou despesas da Prefeitura e Câmara Municipal, Instituto da Previdência, Departamento Municipal de Saneamento Urbano (DEMSUR) e Fundação de Cultural e Arte (FUNDARTE).

A interface do portal é um pouco confusa num primeiro instante, a consulta pelos dados às vezes chega a ser bastante lenta. Alguns órgãos não atualizam os dados em tempo real conforme exige a Lei Complementar 131/2009.

O portal, que foi lançado em 26 de maio de 2011, utiliza o sistema MunicipalNet, da empresa Diretriz. O sistema em questão é utilizado por diversas prefeituras dos estados da Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Roraima e Sergipe. Em Minas Gerais é utilizado por algumas prefeituras, como, por exemplo, das cidades de Carmo de Minas, Governador Valadares, Guaxupé, Lambari, Passa Quatro, São Gonçalo do Sapucaí, Três Corações e Varginha.

Recentemente o site da Prefeitura de Muriaé foi reformulado e passou a destacar ainda mais o serviço de transparência, porém desde o lançamento do portal até hoje a prefeitura municipal ainda não realizou uma audiência pública para apresentar o portal à população e coligir críticas e sugestões, além de ensinar como utilizá-lo.

Como utilizar o Portal da Transparência da Prefeitura de Muriaé

Ao acessar o MunicipalNet, o internauta deverá selecionar o estado de Minas Gerais e o município de Muriaé, em seguida deverá selecionar a opção “Portal da Transparência” e clicar no botão “OK”.

Só 12% das prefeituras dão atenção a transparência

Um levantamento inédito, realizado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI) e divulgado com exclusividade pelo Congresso em Foco, mostrou que apenas 12% das prefeituras dão atenção a transparência.

Veja a pesquisa completa aqui.

Um dos pontos que mais chamam a atenção é que a informação divulgada nos portais de transparência não vem mastigada.

Lei Federal da Transparência – Lei Complementar 131/2009

A Lei Complementar 131/09, que entrou em vigor a partir de 29 de maio de 2009, exige dos municípios brasileiros a divulgação das suas receitas e despesas na internet, de forma detalhada.

Acrescenta dispositivos à Lei Complementar 101, de 4 de maio de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências, a fim de determinar a disponibilização, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Municípios de população entre 50 mil e 100 mil habitantes, no qual se enquadrava a cidade Muriaé quando a lei entrou em vigor, teriam o prazo de dois anos para cumprir a regulamentação. Ou seja, prazo já exaurido.

Lei de Acesso à Informação – Lei Federal 12.527

A Lei de Acesso à Informação, Lei Federal nº 12.527 de 2011, que entrou em vigor a partir do dia 16 de maio de 2012, regulamenta o direito constitucional de acesso dos cidadãos às informações públicas, sendo aplicável aos três Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. O Portal da Transparência deve reunir as informações requeridas pela Lei de Acesso à Informação, onde qualquer cidadão terá acesso a informações sobre os seguintes itens:

  • Dados institucionais dos órgãos e entidades do Poder Executivo Estadual;
  • Dados gerais para o acompanhamento de programas e ações de órgãos e entidades;
  • Inspeções, auditorias, prestações e tomadas de contas realizadas pelos órgãos de controle interno e externo;
  • Registros de quaisquer repasses ou transferências de recursos financeiros;
  • Registros das despesas;
  • Procedimentos licitatórios, inclusive os respectivos editais e resultados, bem como a todos os contratos celebrados;
  • Formas de solicitação de informação.

Tendo em vista a necessidade de adequação dos mecanismos de informação e transparência do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais às normas da Lei de Acesso à Informação, Lei Federal nº 12.527, o Governo de Minas publicou o Decreto n° 45.969, de 24 de maio de 2012, que dispõe sobre o acesso à informação no Estado de Minas Gerais.

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



Um comentário para “Portal da Transparência da Prefeitura de Muriaé ainda é pouco conhecido pela população”

  1. Renato Sigiliano says:

    Infelizmente, o ‘Portal da Transparência’ da Prefeitura de Muriaé parece ter sido feito apenas para esconder a destinação do dinheiro público. Além do mais, as verbas públicas em nossa cidade são gastas unicamente de acordo com a vontade do prefeito, que não consulta e nem respeita a população. O municipio paranaense de Maringá é bastante avançado neste aspecto e poderia servir de referência para Muriaé, caso houvesse real interesse em ser transparente. Lá, até o cafezinho pago com dinheiro público aparece no portal. Há vinte anos, um padre elegeu-se prefeito de Maringá e acabou com a corrupção. Lá, as licitações são feitas em sala de vidro e transmitidas em canal fechado pra praça pública. E aqui? Então, esta falácia que o portal da transparência de Muriaé é ‘desconhecido’ serve apenas como mais uma historinha pra boi dormir.

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.