Projeto proíbe o uso e comercialização de linha chilena e cerol em Muriaé

Deu entrada na Câmara Municipal de Muriaé um projeto de lei que proíbe o uso e comercialização da linha chilena ou de qualquer outro tipo de linha com substância cortante usada para empinar papagaios, pipas e similares.

A proposta, de autoria do vereador Professor Júlio Simbra (DEM), proíbe desde o armazenamento, comercialização, distribuição e manuseio de tais tipos de linhas no município. Quem for flagrado de posse do material poderá ser multado. No caso de empresas, poderá ocorrer ainda a cassação de alvará de funcionamento.

A linha chilena é considerada altamente cortante. Ela leva uma mistura de madeira, óxido de alumíninio, silicio e quartzo moído. Em todo o país, já foram registrados casos de pessoas que tiveram membros amputados e até morreram ao serem atingidas por tal linha.

– Os casos relatos pelos veículos de comunicação nos motivaram a elaborar este projeto de lei. Nosso objetivo é proteger todos os cidadãos contra este perigo que traz transtorno a esta diversão tão agradável e inocente – justifica o vereador Professor Júlio Simbra.

A proposta foi protocolada e aguarda inclusão na ordem do dia para ser apreciada pelos vereadores.

Fonte: Guia Muriaé


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo