Muriaé pode ganhar espaço para atendimento a vítimas de violência doméstica

Fazer uma denúncia de violência doméstica não é fácil para nenhuma mulher, mas pode ser ainda mais constrangedor e doloroso se não houver um espaço reservado para a vítima contar o crime que vivenciou.

Foi com esse intuito que o vice-prefeito e secretário de Saúde, Marcos Guarino, esteve na quinta-feira (18), na 4ª Delegacia Regional de Policia Civil de Muriaé para conversar sobre a possibilidade de garantir um atendimento digno e oferecer maior conforto às mulheres vítimas de violência doméstica e de feminicídios. A ideia é oferecer uma estrutura adequada para o trabalho diário, com um espaço apropriado para acolhimento dessas vítimas.

De acordo com o delegado Regional Alessandro da Mata, a adequação do espaço para o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica vai ajudar muito. “Precisamos de um espaço ampliado e acolhedor que ofereça apoio com total privacidade e segurança para essas mulheres que muitas vezes chegam aqui com seus filhos”.

A escrivã da Delegacia Especializada de Crimes Contra as Mulheres, Franciane Venâncio, ressaltou, também, a importância do encaminhamento do laudo médico. “Precisamos criar um canal permanente, rápido e sério para os prontuários da UPA de primeiro atendimento às vítimas de violência para elaboração de laudos de médicos legistas da Polícia Civil.

O secretário de Saúde, Marcos Guarino, que conheceu pessoalmente como é o atual espaço da Delegacia da Mulher, se colocou à disposição de fortalecer essa parceria entre Prefeitura e Delegacia. “Vamos estudar um local que possa ampliar o acesso das vítimas à Justiça e melhorar a qualidade de trabalho prestado com o atendimento psicossocial e assistência social para as mulheres vítimas de violência”.

Na ocasião, o secretário de Saúde também marcou uma reunião com diretores da UPA.

Também estiveram presentes à reunião, os delegados Eduardo Freitas e Rodrigo Santili, além do médico legista Pedro Mota e o investigador e representante sindical da classe, Alessandro Maximino.

Fonte: PMM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo