Home / Notícias / Policiais / Operação Rescaldo: Polícia Civil prende 14 suspeitos de tráfico de drogas em Muriaé

Operação Rescaldo: Polícia Civil prende 14 suspeitos de tráfico de drogas em Muriaé

A Polícia Civil de Minas Gerais realiza, nesta quinta-feira (19), a Operação “Rescaldo” em Muriaé. Até o momento, foram cumpridos 14 mandados de prisão em diversos bairros do município, com apreensão de armas e drogas.

De acordo com o delegado Tayrony Espindola, o objetivo da manobra é desarticular um grupo criminoso, voltado ao tráfico de drogas. A ação ocorreu em virtude de investigações relacionadas à prisão do suspeito de ser o chefe da organização, um homem de 28 anos, no dia 4 de novembro.

Na ocasião, ele foi preso durante a operação “Narciso”, realizada na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. De acordo com a polícia, o homem era um dos maiores traficantes de drogas de Muriaé.




Durante as diligências, os policiais civis utilizaram técnicas e equipamentos especiais para romper acessos a dois “bunkers” montados pelos suspeitos. Investigações apontam que, na estrutura, funcionavam as “bocas de fumo”, em turnos ininterruptos de 24 horas, tal qual uma indústria que atua em escala comercial.

Após buscas nas residências dos investigados e nos pontos de vendas, as equipes localizaram drogas e armas de fogo, que pertencem à organização criminosa, como apontam as investigações.

A operação é coordenada pela Agência de Inteligência da 4ª Delegacia Regional de Muriaé, com apoio das Delegacias Regionais de Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina e Viçosa, de membros da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da PCMG e do helicóptero da corporação.




Operação Rescaldo

De acordo com o Delegado Tayrony Espíndola, o nome da operação faz alusão ao que restou do grupo criminoso que, mesmo sem o líder, continuava suas operações.




Fonte: Guia Muriaé, com informações da PCMG


Confira também

Suspeito de furtos e roubos de carros em Muriaé e região é preso em Miraí

Uma ação conjunta entre as Polícias Civil e Militar terminou com a prisão de um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimentoe o Novo Livre