Cerca de 36% da população de Cataguases recebe recursos do Bolsa Família

Bolsa Família em Cataguases

O Secretário Municipal de Assistência Social de Cataguases, Vanderlei Teixeira Cardoso, o Pequeno, recebeu a reportagem deste site na manhã desta quarta-feira, 23, para falar sobre os projetos que pretende implementar e das primeiras ações tomadas. Em uma avaliação preliminar ele disse ter recebido a Pasta em ordem e com todos os programas em funcionamento. O que lhe chamou a atenção, porém, é a situação social de Cataguases, onde o nível de carência é significativo e, de acordo com ele, “vai exigir de nós um trabalho intenso no sentido de minimizar esta realidade”.

Vanderlei Pequeno quer, inicialmente, divulgar o conceito que vai reger a Assistência Social em Cataguases, fortalecendo a imagem de uma entidade atuante e voltada àqueles que dela necessita, ao mesmo tempo em que pretende afastar a de paternalista, segundo o secretário “ultrapassada e equivocada”. Para ele a Secretaria deve ser vista como uma “ferramenta para auxiliar as pessoas a superarem suas dificuldades materiais e não como fim em si”, avalia Pequeno.

Esta situação de carência pode ser confirmada através do relatório produzido pelo seu antecessor, José Fernando Milani, que faz um balanço da Gestão 2009-12. Entre os muitos números ali contidos os do Programa Bolsa Família chamaram a atenção do novo Secretário. Segundo o relatório, em agosto de 2012, 8.612 famílias estavam cadastradas no Programa, ou 25.276 pessoas, o que equivale a cerca de 36% da população cataguasense levando-se em conta a estimativa populacional do Censo 2012 que projeta mais de 70 mil habitantes no município. Deste total, 20.256 pessoas são cadastradas no programa com renda per capita mensal de até meio salário mínimo.

Por outro lado, Pequeno revela as ações que começa a tomar para tornar aquela secretaria ainda mais presente na vida da cidade. O primeiro projeto em andamento é a implantação de uma unidade do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) no Bairro São Vicente. Lá, conforme revelou, existe um posto de atendimento com funcionamento três vezes por semana e que conta com uma assistente social e uma psicóloga. “Devemos inaugurá-lo em maio, possivelmente nas dependências da AFAN (Associação Fraterna de Apoio aos Necessitados), sediada naquele bairro”, contou.

– Também estamos discutindo com a equipe a implantação de um CRAS Itinerante, revela Pequeno. Pensamos em adesivar um veículo e percorrer com ele todos os bairros do município levando assistente social, psicólogo e advogado, a fim de conhecer as demandas de nossa população. Será uma maneira de a Secretaria se fazer mais presente e poder dar respostas mais ágeis e ser mais eficiente junto à população, completou.

Outra ação importante já em estudo, conforme revela Pequeno é o FestVida. “Vamos ampliá-lo, tanto sua duração, hoje de três dias, quanto o seu conteúdo”. Pequeno quer inserir no evento poesia e outras formas de manifestação artística, conta. “Vamos analisar todas as opções que temos para fazer um FestVida ainda mais empolgante e participativo”, completou. Ele diz ainda que outros projetos, nas diversas áreas de sua secretaria, estão sendo pensados com o intuito de ampliar e fortalecer as ações já desenvolvidas. E finaliza: “todos os programas existentes vão receber atenção especial porque nosso objetivo é aprimorar o que está funcionando”.

Fonte: Marcelo Lopes


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo