Confirmado os primeiros casos de varíola dos macacos na região

As confirmações haviam sido divulgadas pelas secretarias municipais de Saúde das cidades de Juiz de Fora e Cataguases. Região ainda tem um registro em investigação em Viçosa.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou na tarde desta segunda-feira (25) os 2 primeiros casos de varíola dos macacos na Zona da Mata. As confirmações haviam sido divulgadas pelas secretarias municipais de Saúde das cidades de Juiz de Fora e Cataguases.

No fim da manhã desta segunda-feira, a Secretaria Municipal de Saúde de Cataguases confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos na cidade. Juiz de Fora, por sua vez, divulgou o primeiro entre todas as localidades da Zona da Mata na última sexta-feira (22).

As notificações ainda não tinham sido atestadas pela SES-MG. Na atualização desta segunda-feira, o caso suspeito de Viçosa segue em investigação. No início do mês, o g1 mostrou que uma suspeita chegou a ser apurada em Juiz de Fora, mas a notificação foi descartada após exames.

Situação dos pacientes

A Prefeitura de Cataguases informou que o paciente tem entre 30 e 40 anos e está em isolamento domiciliar, com bom estado geral de saúde e monitorado pela Vigilância Epidemiológica. O Executivo informou que trata-se de um caso importado, mas não detalhou de onde.

O paciente com a doença confirmada em Juiz de Fora é um homem de 37 anos. A Prefeitura informou que é um caso importado e que o paciente segue em isolamento domiciliar, com bom estado geral de saúde. Ele deu uma entrevista ao g1 em que relatou os sintomas sentidos.

Situação em MG

Na atualização desta segunda-feira, a SES-MG informou que o estado chegou 44 casos confirmados da doença, 11 a mais do que na divulgação da última sexta-feira. Ao todo, Minas Gerais tem 61 casos em investigação, 56 descartados e 2 prováveis.

A SES-MG informou ainda que, os casos confirmados são todos do sexo masculino, com idades entre 22 e 48 anos, em boas condições clínicas. Há dois casos em acompanhamento hospitalar devido necessidade clínica e isolamento.

Em todas as situações, os contactantes estão sendo monitorados e os exames são feitos pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Entre as cidades mineiras, apenas Belo Horizonte apresenta transmissão comunitária.

O que é a varíola dos macacos?

A varíola dos macacos é uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada.

Veja lista de sintomas e como se proteger

A transmissão pode ocorrer pelas seguintes formas:

– Por contato com o vírus: com um animal, pessoa ou materiais infectados, incluindo através de mordidas e arranhões de animais, manuseio de caça selvagem ou pelo uso de produtos feitos de animais infectados. Ainda não se sabe qual animal mantém o vírus na natureza, embora os roedores africanos sejam suspeitos de desempenhar um papel na transmissão da varíola às pessoas.
– De pessoa para pessoa: pelo contato direto com fluidos corporais como sangue e pus, secreções respiratórias ou feridas de uma pessoa infectada, durante o contato íntimo – inclusive durante o sexo – e ao beijar, abraçar ou tocar partes do corpo com feridas causadas pela doença. Ainda não se sabe se a varíola do macaco pode se espalhar através do sêmen ou fluidos vaginais.
– Por materiais contaminados que tocaram fluidos corporais ou feridas, como roupas ou lençóis.
– Da mãe para o feto através da placenta.
– Da mãe para o bebê durante ou após o parto, pelo contato pele a pele.
– Úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infecciosas, o que significa que o vírus pode se espalhar pela saliva.

Fonte: G1 Zona da Mata

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo