DJ é detido suspeito de estuprar mulher após show na região

O cantor foi ouvido e liberado, e nega as acusações afirmando que a relação foi consensual. O caso está sendo investigado pela delegacia da mulher de Viçosa

Pedro Henrique Dias Vieira, artista conhecido como DJ PH da Serra, foi detido por policiais militares no domingo, 20/03, em Belo Horizonte.

O artista é suspeito de ter cometido o crime de estupro contra uma fã após um show realizado em Viçosa.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, a vítima de 20 anos teria ido até o camarim do artista após o show e consumido um copo de bebida, em seguida ela teve um apagão, acordando somente no dia seguinte sozinha em uma pousada na cidade de Teixeiras.

Levada pelos policiais ao hospital, a jovem passou por exames e denunciou o artista, que foi detido por policiais em Belo Horizonte e encaminhado para a delegacia.

Em depoimento, PH da Serra negou o crime de estupro e disse que a relação sexual foi consensual. Ele foi ouvido e liberado.

Em nota a Polícia Civil de Minas Gerais explicou o caso:

A Polícia Civil informou que PH da Serra foi ouvido e liberado. Veja o comunicado na íntegra:

“A Polícia Civil de Minas Gerais informa que registrou e iniciou procedimento investigativo no plantão da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher em Belo Horizonte.

A investigação terá andamento em Viçosa – local dos fatos. Como os fatos aconteceram no dia anterior ao registro, não houve flagrante. O homem, em seu depoimento, contou que manteve relações sexuais com consentimento. Ele foi ouvido e liberado”.

O que diz a defesa do artista

Procurada pela reportagem do g1 Minas, a defesa do artista reafirmou que as relações sexuais aconteceram de forma consentida e sem qualquer tipo de violência fisica ou psicológica.

Além disso, a defesa alega que PH foi espontaneamente a um batalhão de polícia após receber uma ligação de policiais. Veja na íntegra:

“O Escritório RAFAEL ANDRADE ADVOCACIA CRIMINAL ESPECIALIZADA, após repercussão nas mídias sociais e reportagem no Jornal G1, vem a público esclarecer o ocorrido na madrugada do dia 19.03.2022 (sábado) e manhã do dia 20.03.2022, em evento festivo no interior de Minas Gerais: Calourada Viçosa.

Gostaríamos de informar que Pedro Henrique Dias Vieira, conhecido como DJ PH do Serra, realizou uma apresentação artística no evento, com início por volta das 02:00 da manhã e término por volta das 03:00. Esclarecemos que após a sua apresentação, DJ Ph do Serra, foi abordado por uma fã, que por questões de sigilo legal, não prestará maiores informações para preservar sua identidade.

Apenas informa que manteve relações sexuais de forma consentida e sem qualquer tipo de violência fisica ou psicologica. Contudo, após regressar para sua cidade natal, foi surpreendido por falsas “acusações” de abuso sexual. Ressalta-se que Pedro foi acionado por meio de ligação telefônica pela Polícia Militar de Minas Gerais, e este, espontaneamente foi ao encontro dos militares no batalhão de polícia Militar para prestar os esclarecimentos necessários.

Com efeito, após as declarações iniciais no Batalhão de Polícia Militar, foi encaminhado para o Departamento de Polícia Civil Especializada de Proteção à Mulher em Belo Horizonte. Posteriormente foi ouvido pela Delegada de Polícia de Plantão, em seguida foi realizado o seu interrogatório. Ato contínuo, pela coerência de suas informações, indicação de elementos informativos aptos a confirmar sua versão e por prestar contribuição no esclarecimento dos fatos, foi prontamente liberado e o caso correrá em sigilo na Delegacia de Polícia Civil de Viçosa.

Reforça-se que não houve ratificação da prisão em flagrante e muito menos pedido de prisão preventiva por parte da Polícia Civil. Lamentamos o ocorrido, mas salientamos que o fato não transcorreu no contexto do divulgado nas mídias sociais.

Informa por fim, que Pedro Henrique vem sofrendo represálias em suas redes sociais por terceiros, sendo vítima de crimes contra a sua honra e ameaça à sua vida e integridade corporal. O Escritório RAFAEL ANDRADE ADVOCACIA CRIMINAL ESPECIALIZADA, responsável pela defesa dos interesses de Pedro Henrique, informa que todo ato de agressão, ameaça ou ofensiva à honra de artista, serão duramente repelidas pelas vias jurídicas e legais”.

Atualização 22/03/2022: Ao contrário do que foi informado pela defesa do artista, nesta terça-feira (22), a Polícia Militar de Minas Gerais afirmou que não houve ligação para o DJ.

Fonte: Viçosa Urgente / G1

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo