Em ação rápida, polícia recupera bens roubados em campus da UFJF e apreende menores

Na terça-feira (18), a Polícia Civil de Minas realizou uma operação, após apuração de um roubo ocorrido na mesma data, no campus de Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Em menos de quatro horas após o fato, dois adolescentes, 15 e 17 anos, foram apreendidos no Bairro Dom Bosco, suspeitos de praticarem ato infracional análogo ao crime de roubo. Além disso, a investigação também apontou a participação de um terceiro suspeito, de 18 anos, que será indiciado pelos crimes de roubo majorado e de corrupção de menores. Objetos também foram recuperados, durante a manobra.

Conforme informações do titular da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos (DERR), Delegado Carlos Eduardo Rodrigues, outro adolescente também chegou a ser conduzido pela Polícia Militar até a unidade policial por suspeita de dar cobertura aos envolvidos. “O crime aconteceu na manhã de terça, quando um grupo de quatro jovens estava tirando fotos no campus da UFJF. Na ocasião, eles foram surpreendidos por três indivíduos que, usando de força física, roubaram dois celulares e uma câmera semiprofissional das vítimas. Posteriormente, a Polícia Militar realizou buscas no bairro Dom Bosco e apreendeu um adolescente. Após assumir a ocorrência, os policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos realizaram uma série de diligências e identificaram três autores, entre eles, dois adolescentes e um jovem de 18 anos”, explicou.

Segundo a autoridade policial, em seguida, foi montada uma operação no bairro Dom Bosco – que também contou com o apoio de policiais civis da 1ª Delegacia Regional de Juiz de Fora-, culminando nas apreensões e na recuperação de todos os bens roubados. “O jovem de 18 anos não foi localizado na ação, mas será indiciado pelos crimes de roubo majorado e de corrupção de menores. Somadas, as penas podem chegar a 18 anos de prisão”, informou, destacando a ousadia dos envolvidos. “O local dos fatos é monitorado por câmeras de vigilância e possui vigilantes que atuam na proteção do interior da instituição e, mesmo assim, esses indivíduos decidiram realizar o roubo”, disse, complementando que investigações se encontram em andamento para apurar a participação deles na prática de ato infracionais e de delitos ocorridos na região.

O Delegado Carlos Eduardo Rodrigues ressaltou, ainda, a importância de um comportamento vigilante, por parte das pessoas, com objetos de valor. “É importante que as pessoas fiquem atentas ao fazer uso de aparelhos eletrônicos e de outros objetos de valor em via pública, para não chamar a atenção de criminosos. Muitos roubos ocorrem, pois o autor acaba percebendo uma facilidade para cometer o crime”, concluiu.

Fonte: PCMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre