Filha revoltada tenta incendiar a própria casa em Cataguases

A Polícia Militar foi acionada nesta madrugada deste domingo (22), por volta das 3 horas, com uma denúncia de incêndio em uma residência na Rua Expedito Liberato, no bairro Ana Carrara, em Cataguases. Não houve vítimas e ningúem ficou ferido, graças a ação rápida de vizinhos que ajudaram a controlar o fogo, conforme relatou aos policiais o dono do imóvel, José Monteiro de Resente. Segundo ainda ele sua filha, Patrícia Sampaio de Resende, de 31 anos, foi quem ateou fogo na casa.

A mãe de Patrícia, Elviara Sampaio de Resende, 67 anos, contou aos policiais o que, segundo ela, levou a filha a incendiar a própria residência. “Ela ficou muito nervosa de repente e disse que estava desmotivada a continuar vivendo e todos achavam que era louca. Depois disso ela começou a colocar fogo em diversos lugares aqui de casa”, revelou. Até ser contida pelo pai e vizinhos ela conseguiu atear fogo no sofá, TV e receptor de antena parabólica, e em um tanquinho de lavar roupa que ficava na cozinha da casa, que ficou toda chamuscada e com marcas das chamas em diversos cômodos.

imageGraças a ajuda de vizinhos o fogo foi controlado e ninguém se feriu. Dona Elvira contou ainda aos policiais desconfiar que sua filha usa drogas e que ela tem “transtorno psicológico”. Patrícia foi detida e conduzida ao Pronto Socorro Municipal onde passou por exames médicos e foi conduzida até a Delegacia de Plantão, em Leopoldina, onde teve sua prisão em flagrante ratificada. Ela vai permanecer até segunda-feira, 23, no presídio daquela cidade quando será transferida para Cataguases onde ficará à disposição da Justiça.

As fotos que ilustram esta reportagem foram tiradas por volta das 7:30 horas da manhã, quando seu José Monteiro limpava sua residência. O sofá e o tanquinho queimados não estavam mais dentro da casa e sim, num terreno baldio próximo dali. Ele permitiu a entrada da reportagem e, questionado sobre o motivo que levou sua filha a colocar fogo na casa, disse que ela “tem problema mental e precisa ser internada por uns seis meses, depois disso ela volta pra casa tranquila e sem problema”. Também foram queimados parte da cortina da sala, tapete no chão do banheiro e utensílios domésticos. A parede da sala ficou enegrecida pelas chamas e fumaça.

Fonte: Marcelo Lopes


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre