Governo de Minas interrompe repasses do IPVA que deve à Viçosa



O Município de Viçosa ainda não recebeu do Governo do Estado de Minas Gerais todo o valor correspondente à cota-parte do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018 que lhe é devido. Os repasses que deveriam acontecer durante todo o mês de janeiro, acompanhando os pagamentos realizados pelos contribuintes, foram interrompidos no último dia 15/01. Até esta terça-feira (23), o Estado repassou ao Município apenas R$ 1.277.428,32, uma queda de 64% em relação ao montante repassado no ano anterior no mesmo período.

De acordo com a secretaria de Finanças da prefeitura, em 2017 foi repassado ao Município o montante de R$ 3.463.385,32 somente na primeira quinzena de janeiro. Após essa data, os repasses continuaram caindo diariamente na conta do Município até o fim do mês, diferentemente do que acontece neste ano de 2018.




A situação foi denunciada pela Associação Mineira de Municípios (AMM) na última semana. A entidade fez um balanço junto aos municípios mineiros e afirma que “o Governo do Estado de Minas Gerais está se apropriando de 80% do valor correspondente à cota-parte do IPVA de 2018 devida aos municípios, em uma comparação feita com a arrecadação no mesmo período, de 1° a 16 de janeiro, de 2017”.

O não repasse imediato do IPVA infringe diretamente o que determina o artigo 158, inciso III, da Constituição Federal da República, que determina a destinação de 50% do produto da arrecadação do IPVA aos municípios do território nacional. E o artigo 2º da Lei Complementar nº 63, de 11 de janeiro de 1990, que estabelece ao Governo o repasse imediato desses recursos aos cofres municipais.

Fonte: PMV

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.