Homem é preso com material para produção de linhas cortantes em Ubá; multa pode chegar a R$ 179 mil

Nesta segunda-feira (18), a Polícia Civil de Minas Gerais desencadeou a operação “A Vida por um Fio”, com a finalidade de combater a venda, a produção e o uso de linhas cortantes, no município de Ubá.

Conforme apurado pelo GUIA MURIAÉ, a ação resultou no cumprimento de mandado de busca e apreensão em uma fábrica, localizada no bairro Triângulo, onde foram apreendidos insumos para fabricação e armazenamento do cerol, como sacos de pó abrasivo, cola, frascos de envasamento, funis e linhas cortantes. Uma pessoa foi conduzida até a Delegacia Regional de Ubá para prestar esclarecimentos.

De acordo com o Delegado Regional Diêgo Candian Alves, as investigações iniciaram, considerando a pandemia da Covid-19.

– Ocorreram suspensões de aulas e de atividades laborais, mas também campanhas de isolamento social, e muitas pessoas começaram a praticar atividades de lazer em suas próprias casas, como soltar pipas e papagaios – explica.

A autoridade policial ressalta que soltar e comercializar pipas, papagaios e linhas não é crime, no entanto, o uso e a comercialização de linhas cortantes, ou seja, linha chilena ou com cerol, é proibido, é crime. Pode gerar multas de até R$ 179 mil e resultar em crime contra a economia e as relações de consumo, previsto no artigo 7º, inciso IX, da lei 8.137, de 1990.

Fonte: PCMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre