Mulher tem bebê na casa da avó e o mata após escondê-lo em bolsa



Uma mulher de 24 anos é acusada de matar o próprio filho recém-nascido pouco após dar a luz em uma residência em Janaúba, no Norte de Minas. O caso foi descoberto pela polícia nesta quinta-feira (15).

Na madrugada de terça-feira (13), a mulher deu entrada no Pronto-Socorro do Hospital Regional de Janaúba apresentando um quadro de hemorragia. Na ocasião, os médicos constataram que ela estada grávida de nove meses. Já na madrugada de hoje, ela retornou ao hospital, também apresentando muito sangramento, mas já estava sem o bebê.

A Polícia Militar foi acionada e questionou a mulher sobre os fatos. Inicialmente ela alegou que não sabia que estava grávida e afirmou que não existia feto, tendo informado que estava na casa de sua avó quando teve um sangramento e por isso procurou socorro no hospital.




Uma equipe da PM foi até a casa da avó da mulher. A idosa disse que durante a madrugada foi acordada por sua neta, que estava toda ensanguentada e pedia ajuda para ligar o chuveiro e tomar banho. Após buscas no quarto onde a mulher dormia, os policiais encontraram uma bolsa, que continha em seu interior um feto de recém-nascido do sexo masculino, enrolado em meio a panos. A criança estava na bolsa há pelo menos dois dias.

De volta ao hospital, a mulher acabou confessando que estava dormindo na casa da avó quando percebeu que a criança estava nascendo. Após o nascimento, ainda sozinha, ela colocou a criança na bolsa e se arrastou até o quarto da avó para pedir ajuda. Ela disse aos militares que ouviu o bebê chorando por cerca de cinco minutos após colocá-lo na bolsa e que teria feito isso por não querer ter “mais um filho”.

A mulher não foi levada para a Delegacia de Polícia, devido ao seu estado de saúde. Ela permanece internada sob cuidados médicos e sob escolta policial.

A pena para infanticídio varia de 2 a 6 anos de prisão.

Fonte: Guia Muriaé, com informaçõs de O Tempo

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.