Prefeitura proíbe festas e restringe funcionamento de bares e restaurantes em Viçosa

A Prefeitura de Viçosa vai adotar medidas mais rígidas para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. O decreto municipal nº 5.577/2020, assinado pelo prefeito Ângelo Chequer, proíbe a realização de festas, inclusive as que já tiveram alvará concedido, e restringe o funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes.

De acordo com a Prefeitura, as medidas foram adotadas principalmente em função do recente aumento do número de casos na cidade e dos casos de flagrante desrespeito às normas sanitárias, principalmente em aglomerações espontâneas em vias públicas. Recomendações do Ministério Público, Conselho Técnico e os Conselhos Municipal de Saúde (CMS) e Álcool e outras Drogas (COMAD) reforçam a adoção de ações mais rígidas e o cumprimento dos decretos técnicos e sanitários.

Novas regras

Bares e restaurantes estão autorizados a funcionar somente até às 21h, em todos os dias da semana. Está proibida, por tempo indeterminado, a colocação de mesas e cadeiras em vias públicas, para a acomodação de clientes.

Também está proibida a realização de festas, shows e eventos em casas de festas, boates e espaços similares.Os alvarás já concedidos estão revogados e a insistência pela realização de qualquer evento cuja proibição consta no decreto estará sujeito à penalidades previstas em lei.

O decreto autoriza a instalação de gradis em espaços públicos que gerem aglomerações. Caberá às equipes de fiscalização da PMV e da Vigilância Sanitária definirem os locais para a montagem da estrutura.

Situação epidemiológica é monitorada

A Secretaria de Saúde continua em alerta em função do aumento de casos de Covid-19 em Viçosa. O mês de novembro já bateu recorde de confirmação de casos desde o início da pandemia, com 174 casos acumulados até a quarta-feira (25).

No Programa Minas Consciente, que estabelece as regras estaduais para a retomada da economia dos municípios mineiros, a macrorregião Leste do Sul, que inclui Viçosa, está na onda amarela. E de acordo com o Secretário de Saúde, esse cenário pode trazer consequência para Viçosa: “com o aumento do número de casos na região, os hospitais podem ficar sobrecarregados. E pacientes de fora serão internados em Viçosa, uma vez que a estrutura do SUS é de ampla cobertura”, explica.

Para o Prefeito Ângelo Chequer, o decreto é preventivo: “continuamos pedindo a colaboração e o bom senso da população para evitar aglomerações. O aumento de casos é visto em todo o mundo novamente e devemos continuar fazendo a nossa parte, para evitar retrocessos maiores que incluem o fechamento total”, afirma.

Fonte: PMV


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo