Professor da UFV produz etanol com restos da cachaça



Mesmo diante a crise de abastecimento durante a greve dos caminhoneiros, um professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV) continuou andando normalmente de carro.

Juarez de Souza Silva, que atua no Departamento de Engenharia Agrícola, produz seu próprio etanol na zona rural de São Geraldo. Em entrevista ao G1, ele garante que o combustível produzido é de boa qualidade. “A produção de álcool hidratado em pequenas propriedades rurais é uma alternativa interessante para economizar, tendo em vista que os produtores podem produzir seu próprio combustível”, disse.

De acordo com o professor, os produtores de cachaça podem produzir etanol através da chamada “cabeça” e “cauda”, subprodutos da destilação que normalmente não são aproveitados por terem uma maior concentração de álcool.




Com a utilização de um instrumento chamado de coluna de retificação, os produtores de cachaça podem converter o álcool de baixo para alto grau, o que custaria cerca de R$ 0,80. Quem não tem a estrutura de um alambique também consegue fazer o mesmo. Com outros equipamentos, a produção de cada litro pode ser obtido por até R$ 1,20.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o professor mostra a produção do etanol:

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.