Home / Notícias / Saúde e Bem-Estar / Apoio e participação são fundamentais na chegada de um bebê

Apoio e participação são fundamentais na chegada de um bebê

O nascimento de uma criança é um momento de grande expectativa para toda família e o pai tem papel fundamental desde a gravidez. Compartilhar estes momentos iniciais, acompanhar de perto os exames pré-natais, estar presente no parto, geram os primeiros vínculos com a nova vida que chega. O apoio e interesse do parceiro é muito importante para deixar a mãe mais segura e amparada, incentivar o parto normal e o aleitamento materno.

Muito além de apenas prover, ser pai é buscar conhecer os seus direitos e estar presente em todos os momentos. Todo pai tem direito à licença paternidade de 5 dias, garantido pelo artigo 7º, inciso XIX, da Constituição Federal. Além disso, o pai também tem direito a estar presente durante o parto, seja no Serviço Único de Saúde (SUS) ou na rede de saúde suplementar, de acordo com a Lei Federal nº 11.108, de 07 de abril de 2005, mais conhecida como a Lei do Acompanhante. A legislação determina que os serviços de saúde são obrigados a permitir à gestante o direito à presença de acompanhante durante todo o período de trabalho de parto e pós-parto.




O acompanhante é indicado pela gestante, podendo ser o pai do bebê, o parceiro atual, a mãe, um (a) amigo (a) ou outra pessoa da sua escolha. O acompanhante escolhido ajuda a garantir um melhor atendimento, a diminuir a duração do trabalho de parto, o medo, a tensão e, consequentemente, aliviar a dor. A participação da figura paterna durante esse momento tão importante ajuda, também, a evitar ocorrência de depressão pós-parto, o que favorece o aleitamento materno e a fortalecer o vínculo entre a parceira e o bebê.

A Lei do Acompanhante é válida para parto normal ou cesariana e a presença do (a) acompanhante, inclusive se este for adolescente, não pode ser impedida pelo hospital ou por qualquer membro da equipe de saúde. Se esses direitos não forem respeitados, entre em contato com a Ouvidoria do Ministério da Saúde por meio do telefone 136.

Para homenagear os homens que encaram esta tarefa com muito amor, o Blog da Saúde entrevistou o fotógrafo Leo Horta, 41 anos, marido da blogueira Lu Ferreira, do blog Chata de Galocha, que espera ansiosamente a chegada de Beatriz, a primeira filha do casal.




Você sempre teve vontade de ser pai? Era um desejo seu?

Sim, sempre tive vontade de ser pai, em algumas etapas essa vontade mudava de intensidade, mas sempre foi um desejo ter filhos, no plural mesmo, mais de um!




Você se envolveu em todas as etapas da gravidez da sua mulher? Acompanhou exames, ajudou a escolher elementos do enxoval e do quartinho?

Sim, acompanhei e me envolvi em todas as etapas. Além disso, acho muito importante se informar e procurar entender todas as etapas de desenvolvimento do bebê e também as fases de gestação porque isso ajuda muito a entender e lidar com a futura mamãe. Sim, fui a todos os exames e consultas, mas não ajudei muito a escolher o enxoval, a Lu, minha esposa, me mostrava o que ela estava planejando e comprando. Ela pesquisou muito e já tinha tudo na cabeça.

Pretende estar junto no parto?

Sim, pretendo e me planejei pra isso. Acho fundamental a presença do pai, principalmente pra quem quer parto normal, nossa escolha. Pretendo passar segurança e tranquilidade pra minha esposa e também ser o porta voz dela em qualquer situação adversa. Fora isso tudo, a experiência em si, de ver minha filha nascer, já é uma oportunidade inesquecível.

Para você, qual é importância do pai nesta fase da gravidez?

No final da gravidez, o pai tem que ser paciente e estar preparado pra qualquer emergência. É bom já conhecer e se informar sobre o parto e sobre os sinais de cada fase do trabalho de parto.

O que você espera do seu papel como pai depois que o bebê nascer? Acha importante estar presente nas atividades diárias?

A mãe tem um papel fundamental pois ela amamenta o bebê, mas o pai deve se encarregar de tarefas que ele puder fazer. Pretendo dar banho, trocar fraldas, fazer dormir, brincar com a bebê entre outros cuidados. Acho muito importante participar das atividades diárias, até mesmo pra fortalecer o vínculo da criança com o pai.

O que significa ser pai para você?

Significa poder viver o amor de outras maneiras. Aprender, ensinar e compartilhar experiências com um filho deve ser extremamente gratificante.

Fonte: Gabriela Rocha / Blog da Saúde

Confira também

Centro de Saúde da Mulher e da Criança passa a oferecer testes do Pezinho e da Orelhinha

O Centro de Saúde da Mulher e da Criança está oferecendo dois importantes exames para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *