Home / Notícias / Saúde e Bem-Estar / Dia Mundial do Diabetes: Hábitos saudáveis são fundamentais para evitar e controlar o diabetes

Dia Mundial do Diabetes: Hábitos saudáveis são fundamentais para evitar e controlar o diabetes

Celebra-se no dia 14 de o Dia Mundial do Diabetes. A data foi criada em 1991 pela International Diabetes Federation (IDF) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma resposta ao crescente número de casos em todo o mundo. O objetivo desta data é chamar a atenção, sobretudo no que diz respeito ao acesso à sua prevenção e tratamento adequados e de qualidade para evitar complicações mais severas, reduzindo o impacto sobre os indivíduos, famílias e custos para os sistemas de saúde e para a sociedade em geral.

Perda de peso, visão borrada, sede excessiva, fadiga, micção freqüente e fome recorrente são alguns dos sintomas de uma doença que afeta cerca de 13 milhões de brasileiros, o diabetes. No dia nacional de combate à doença, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) orienta sobre os cuidados para prevenir o diabetes, que é considero pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um problema de saúde pública.




Em Minas, mais de 1,3 milhão de pessoas são portadores do diabetes. A doença é caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue e pela incapacidade do organismo de produzir a insulina, hormônio responsável por levar a glicose da corrente sanguínea até as células dos músculos, de gordura e do fígado, onde esse açúcar é utilizado como fonte de energia.

Segundo a coordenadora da Rede de Hipertensão e Diabetes da SES-MG, Flávia Gomes de Carvalho, ter hábitos saudáveis de vida é essencial para evitar o diabetes e prevenir complicações causadas pela doença. “Praticar atividade física regularmente, consumir com regularidade frutas e verduras, diminuir o consumo de gorduras, evitar ficar mais de 3 horas sem se alimentar são ações que evitam a doença, e para o portador do diabetes estas medidas previnem complicações”, explicou.

As formas mais populares da doença são o tipo 1, 2 e Gestacional. O tipo 1 costuma ser diagnosticado na infância e expressa quando o organismo deixa de produzir a insulina. São necessárias injeções diárias do hormônio. O tipo 2, compreende a maioria dos casos de diabetes. Ocorre geralmente em adultos e é caracterizada pela produção insuficiente de insulina pelo pâncreas e está ligada ao sedentarismo, má-alimentação, obesidade, stress e tabagismo.

Na diabetes gestacional a alta quantidade de glicose na corrente sanguínea é ocasionada pela gravidez. Mulheres com diabetes gestacional têm alto risco de desenvolverem diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Tratamento

O governo de Minas disponibiliza em toda rede pública e em todas as unidades básicas de saúde medicamentos hipoglicemiantes orais e insulinas para o tratamento do diabetes mellitus. Para pacientes portadores do diabetes tipo 1, 2 e gestacional, o estado também disponibiliza tiras reagentes que indicam a quantidade de glicose no sangue. Para portadores com o tipo 1 e gestacional, são distribuídas três unidades por dia. Para o tipo 2, o paciente tem direito a uma unidade por dia.

De acordo com a Referência Técnica da Assistência Farmacêutica da SES-MG, Maria Luisa da Costa Machado, além dos os medicamentos para tratar a doença, o paciente tem direito ao aparelho de medição da glicose. “Para o recebimento das tiras reagentes e dos aparelhos glicosímetros, os portadores do Diabetes tipo 1,2 e gestacional devem estar cadastrados no questionário de Triagem do Sistema de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica/SIGAF”, orientou.

Ainda de acordo com Maria Luisa, “para o paciente ter acesso aos medicamentos do componente básico na unidade da Rede Farmácia de Minas ou nos postos de saúde é necessário apresentar documento de identificação e prescrição médica ou documentação específica definida pela Secretaria Municipal de Saúde do município”, finalizou.

O tratamento por meio de medicamento aliado aos hábitos de vida saudáveis possibilita ao diabético melhor qualidade de vida, além de reduzir os sintomas e impedir as complicações relacionadas à doença, como ocorrências de infartos, lesões na retina, insuficiências renais, doenças cerebrovasculares, vasculares periféricas e neuropatias. Todos os medicamentos distribuídos pelo governo de Minas são preconizados pelo Ministério da Saúde.

Hiperdia Minas

Os centros Hiperdia Minas são unidades de atenção secundária à saúde da população portadora de diabetes mellitus e hipertensão arterial. As unidades desenvolvem ações especializadas voltadas para o aumento da prevenção, detecção, tratamento e controle das doenças.

Os usuários são atendidos na atenção primária, e por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBS) são encaminhados ao centro para o acompanhamento e tratamento da doença.

No Estado, já foram implantados 15 Centros do Hiperdia Minas. As unidades abrangem 17 regiões e proporcionam atendimento à pacientes de 222 cidades. Os Centros estão localizados nos municípios de Brasília de Minas, Diamantina, Itabira, Itabirito, Janaúba, Jequitinhonha, Juiz de fora, Muriaé, Patos de Minas, Patrocínio, Pirapora, Santa Luzia, Santo Antônio do Monte, Teófilo Otoni e Viçosa.

Fonte: SES-MG e Ministério da Saúde

Confira também

Profissionais da Saúde são capacitados sobre cuidados nutricionais em pacientes com feridas

Enfermeiros e nutricionistas que atuam nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) de Muriaé foram capacitados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *