Home / Notícias / Saúde e Bem-Estar / Saúde mineira está pronta para a Copa do Mundo

Saúde mineira está pronta para a Copa do Mundo

Com a aproximação da Copa do Mundo, o Brasil vem se transformando em uma nação multicultural. Torcedores de países dos cinco continentes chegam aos milhares e até o dia 12 de junho, data da abertura do campeonato, as ruas serão tomadas por muitas cores, pela alegria e pela paixão pelo futebol.

Somente em Minas Gerais, são esperados 370 mil turistas. A maior parte desse contingente deve passar por Belo Horizonte. Com tanta gente chegando, fica o receio da população sobre a possibilidade de que novas doenças entrem no país, ou até mesmo que aquelas, já erradicadas, possam retornar.
Para manter tanto a população, quanto os turistas em segurança, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) vem monitorando o dia a dia das doenças registradas nos países que participam de jogos em Belo Horizonte, e das delegações que se hospedarão em Belo Horizonte, Sete Lagoas e Vespasiano. Duas vezes por semana, são divulgados boletins que informam a situação epidemiológica desses países, esclarece a médica infectologista do Centro de Informações e Estratégias de Vigilância em Saúde da SES (CIEVS Minas), Tânia Marcial. Todas as ações de vigilância promovidas pela SES serão coordenadas pelo Centro de Informações e Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS Minas), órgão responsável pelas situações de crise que ocorrem no estado e o acompanhamento dos agravos com elevado potencial de disseminação e/ou riscos à saúde pública.




COES Minas

Para oferecer maior segurança e tranquilidade, durante a Copa do Mundo os trabalhos de vigilância epidemiológica em Minas ficam concentrados no Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) e devem se estender até o dia 31 de julho. O COES irá atuar no acompanhamento, notificação, monitoramento e resposta em tempo real. Entre os principais objetivos está a atuação em situações de emergência em saúde pública que superem a capacidade de cuidado das esferas municipais, potencializando recursos humanos e materiais nas regiões do estado em que a estrutura for insuficiente para realização das ações de enfrentamento de eventos de importância em saúde pública.

Todas as atividades do COES estão articuladas com os municípios e com o Governo Federal. Desta forma, será possível oferecer respostas coordenadas a eventos de emergência em saúde pública, que envolvem a vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental, o setor laboratorial da Fundação Ezequiel Dias (FUNED) e o CIEVS Minas.




Viajantes

Ao todo, 32 países participam da Copa do Mundo e devem disputar 57 partidas em 12 cidades sede. Só no Mineirão são esperados, a cada jogo, 24 mil estrangeiros. Para oferecer uma estadia tranquila aos turistas, o Governo do Estado preparou o Guia do Viajante Saudável, com informações sobre cuidados de viagem, alimentação e proteção em relação a doenças como hepatites virais e AIDS.




O guia também oferece orientações sobre alimentação segura e cuidados com o manuseio dos alimentos, precauções que podem evitar muitas doenças. De acordo com Tânia Marcial, entre as enfermidades mais comuns que os turistas podem vir a ter durante a Copa estão aquelas transmitidas pelos alimentos. A Vigilância Sanitária intensificou a fiscalização nos estabelecimentos, mas o cuidado com a higiene tanto dos alimentos quanto de utensílios é fundamental. É importante também dar preferência para alimentos cozidos e em temperaturas seguras, e ingerir somente água tratada.

Em caso de problemas de saúde, o turista deverá seguir a mesma rotina de atendimento destinado à população, dirigindo-se às unidades de saúde do município ou, em casos, de urgência e emergência para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

Para quem viaja com seguro saúde, basta entrar em contato com a seguradora, e em caso de dúvidas, a Secretaria Municipal de Saúde da cidade onde está hospedado será a referência ou a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, pelo telefone 155.

Vacinação

Para manter a saúde é fundamental que a caderneta de vacinação esteja em dia. O Brasil possui um dos melhores sistemas de imunização do mundo e, por esse motivo, a população está bem protegida, destaca Tânia Marcial.

Em alguns países, é obrigatória a apresentação do Certificado Internacional de vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a febre amarela. Essa vacina deve ser aplicada no mínimo dez dias antes da viagem, o que pode ser feito em qualquer centro de saúde da rede pública. Para as pessoas que estão vindo para o Brasil, o Ministério da Saúde recomenda a aplicação desta vacina.

O CIEVS Minas preparou um mapa com o levantamento de doenças prevalentes nos países que participam da Copa do Mundo. Entre elas figuram enfermidades que podem ser prevenidas por meio da imunização e cujas vacinas estão disponíveis no calendário de vacinação brasileiro.

Fonte: SES-MG / Foto: Henrique Chendes/SES-MG

Confira também

Prefeitura de Muriaé entrega reforma da policlínica do Porto

Para garantir infraestrutura de qualidade aos serviços de saúde, a Prefeitura de Muriaé inaugurou na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *