“UPA de Muriaé estará em funcionamento em breve”, afirma vereador



Inaugurado em 2012, no final do mandato do ex-prefeito José Braz, o prédio onde funcionaria a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Muriaé segue abandonado até hoje. O problema se arrastou durante todo mandato do ex-prefeito Aloysio Aquino e foi herdado pelo atual prefeito Grego, que busca uma solução para o problema.

Em 24 de julho de 2017, a Prefeitura de Muriaé afirmou que a situação da UPA tornou-se tema prioritário. Desde então, o prefeito Grego, o secretário municipal de Saúde, Paulo César de Oliveira, e outros membros da Administração tiveram participando de reuniões sobre o assunto, para que o prédio, construído sem jamais ter entrado em funcionamento, possa finalmente abrir suas portas aos muriaeenses.

A ideia era que a unidade conte, em uma de suas alas, com pronto-atendimento diminuto – ou seja, prestando serviços intermediários entre o atendimento básico dos postos de saúde e o de urgência e emergência que é feito no HSP. Já em outro ambiente, a sugestão é que o local abrigue atividades diferenciadas – uma possibilidade é o CAPS III, voltado para o tratamento de dependentes de álcool e drogas.




A UPA Muriaé poderia desafogar o Pronto-Socorro do Hospital São Paulo. Nesta semana, a direção do HSP emitiu um comunicado sobre a superlotação no Pronto-Socorro. “Procure este serviço apenas em caso de urgência, pois estamos com superlotação, dificultando os atendimentos. Todos os leitos de internação estão ocupados, tendo um número elevado de pacientes no Pronto-Socorro aguardando vagas para a internação”, dizia o comunicado.

Nesta quarta-feira (21), o vereador Dr. José Carlos (PSB) afirmou nas redes sociais que em breve a UPA de Muriaé estará em funcionamento, além de outras novidades referentes a área da Saúde do município.

A Prefeitura de Muriaé ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Histórico

Em janeiro de 2010, o Ministério da Saúde liberou R$ 2 milhões para a construção da UPA em Muriaé. O valor seria utilizado para obras e para compra de equipamentos. A obra foi entregue no fim do mandato do ex-prefeito José Braz.

Desde então, a nova Secretaria de Saúde Municipal vem buscando requalificar a UPA na cidade, que inicialmente foi classificada como Porte II, passando a classificação para Porte III, e conseguindo assim mais recursos, que, segundo a Secretaria, é o principal que falta para a UPA começar a funcionar. “A UPA terá uma despesa mensal de R$ 800.00,00. Deste total, o Governo Federal arcaria com 50%, o Estadual com 25% e a Prefeitura com outros 25%, porém o Governo Estadual não esta ‘disposto’ a ajudar com os recursos necessários para que a UPA comece a funcionar”, disse a então Secretária Adjunta de Saúde, Grasielle Esposito, em entrevista ao Guia Muriaé, em julho de 2013.

Em agosto de 2013, representantes do Ministério da Saúde avaliaram e analisaram a estrutura do prédio, que recebeu parecer favorável dos profissionais para operação em nível 3. “Em um primeiro momento a parte física está de acordo com as normas e exigências do Ministério da Saúde”, disse Chistian Prata Lima, Analista e Técnico do Ministério da Saúde. Até então, seria preciso apenas alguns ajustes como a colocação de corrimãos, acessibilidade, protetores de ralos, entre outros itens. Na ocasião, a Secretária Adjunta de Saúde afirmou que a previsão para o início dos atendimentos são para os primeiros meses de 2014.

O prazo limite para a UPA entrar em funcionamento seria março de 2014, para firmamento do convênio.

Entenda a qualificação da UPA

* UPA Porte I: tem de 5 a 8 leitos de observação. População na área de abrangência de 50 mil a 100 mil habitantes;
* UPA Porte II: 9 a 12 leitos de observação. População na área de abrangência de 100 mil a 200 mil habitantes;
* UPA Porte III: 13 a 20 leitos de observação. População na área de abrangência de 200 mil a 300 mil habitantes.

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



Um comentário para ““UPA de Muriaé estará em funcionamento em breve”, afirma vereador”

  1. Michele says:

    Terá concurso para trabalhar na Upa de Muriaé?

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.