Cadela é aposentada após nove anos de serviços a PMMG em Muriaé e região



A cadela Flecha nasceu em 05/01/2009. Filha de Yana e Pajé, ambos pertencentes ao Pelotão de Cães da Companhia de Missões Especiais da PMMG, em Juiz de Fora. É irmã do cão Fred e sempre conviveu com a vida de caserna.

Com aproximados 06 meses de idade, foi doada para o 47º BPM, que a época estava estruturando o Canil. O Grupamento de Cães, como hoje é conhecido, foi desmembrado e incluído no DDQOD através da resolução 4.091 de 05 de julho de 2010.

A história da cadela Flecha é também o início da história do Grupamento de Cães do 47º BPM. Treinada e adestrada pelos sargentos Oliveira e Montes, a cadela Flecha aprendeu técnicas sobre Faro de Entorpecentes e Obediência Canina.




Concluído os treinamentos, foi empenhada em ocorrências de Faro de Entorpecentes ao longo de sua carreira, com destaque para diversas localizações de drogas na cidade de Muriaé, bem como atuou em apresentações de obediência do Projeto Cão Amigo, que era desenvolvido junto à comunidade.

A cadela Flecha também atuou nas cidades pertencentes ao 47º BPM e também apoiou em ocorrências nas cidades pertencentes a então existente 6ª Cia Ind., em Leopoldina.

Conforme Resolução 4.491, que dispõe sobre a assistência médico-veterinária da PMMG, os semoventes caninos vão para a inatividade, ou seja, deixam de trabalhar como cães policiais, compulsoriamente com 10 anos ou, por senilidade, a partir de 08 anos de idade.

A cadela Flecha foi doada ao capitão Silvio, o qual lhe proporcionará um local espaçoso e um ambiente agradável para seu merecido descanso das atividades policiais.

Após nove anos de idade e de serviços dedicados a PMMG, a cadela Flecha transfere a missão de Faro de Entorpecentes para a cadela Iza, que desde 2017 vem executando várias operações no Grupamento de Cães do 47º BPM obtendo êxitos significativos no combate à criminalidade.

Fonte: Soldado Jackson / PMMG

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.