Candidato a prefeito vai processar rival e quem compartilhou vídeo falso

Um vídeo divulgado no meio da tarde deste sábado, 17 de outubro, pelo candidato a prefeito Maguinho, do PSL em Cataguases, com imagens de apoiadores do candidato José Henriques, do MDB, conversando com interlocutores não identificados sobre entrega de cestas básicas viralizou nas redes sociais. As imagens também mereceram o repúdio do empresário, do MDB e do próprio José Henriques, que não aparece no vídeo, mas disse ao Site do Marcelo Lopes, que está tomando todas as medidas jurídicas cabíveis para esclarecer os fatos e punir os responsáveis.

O vídeo divulgado foi editado e mostra o empresário Marco Antônio Souza, proprietário da empresa Transportes VT, acompanhado do agora assessor do deputado estadual Fernando Pacheco, Edson Campos, ao lado de um veículo, conversando com uma mulher não identificada. As imagens mostram Marco Antônio contando já ter entregue “mais de trezentas cestas básicas” em Cataguases, nos distritos e em Santana de Cataguases, e cita que o mesmo gesto estaria sendo feito também por suas duas filhas, dando a entender que se tratava de um gesto familiar. Em outro momento do vídeo, quando o assunto é eleição municipal, Marco Antônio cita ainda os nomes de Gabriela e José Henriques e do deputado Fernando Pacheco.
Procurado pela reportagem, Marco Antônio disse ter divulgado um esclarecimento em sua página na rede social Facebook. Ao Site revelou que as cestas foram doadas no dia 22 de abril deste ano quando a cidade vivia o auge do isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus (reprodução acima). Sobre o fato de terem conversado sobre política, explicou que sua interlocutora perguntou sobre a campanha eleitoral e ele respondeu orientando a quem deveria procurar no momento oportuno. “Não há nada de mais no vídeo, mas como ele foi maldosamente editado, quem assiste é levado a tirar conclusões equivocadas. Pura maldade de alguém que não tem credibilidade nem a menor chance de ser prefeito de nossa cidade e, por isso, estou entrando com uma ação criminal contra o candidato a prefeito do PSL”, completou.

Para José Henriques, que também é o presidente do MDB, o vídeo é um gesto de caridade de um empresário ajudando pessoas carentes. “Além disso, as doações foram feitas em abril, quando a cidade toda estava mobilizada para arrecadar doações das mais diversas, para a população carente que estava isolada em casa e com sua renda comprometida”, lembrou. Ele completou revelando as medidas que está tomando a respeito deste episódio:

– Vamos entrar ainda hoje (18) com uma representação eleitoral contra o Maguinho, uma denúncia na Ouvidoria do Ministério Público Eleitoral, além de um boletim de ocorrência policial que faremos amanhã (19). Estamos também tomando as medidas criminais previstas nos artigos 323 e seguintes, da lei eleitoral 4737/65, cuja pena pode variar de 6 meses a 2 anos, e pagamento de 10 a 40 dias-multa, segundo o Código Penal. Já os crimes contra a honra podem variar de seis meses a dois anos, e multa, não só contra o Maguinho, mas também contra todas as pessoas que compartilharam o vídeo mentiroso”, finalizou.

Maguinho entrou em contato com o Site após a publicação da matéria para informar que o vídeo por ele divulgado foi gravado no dia 27 de junho, e que nesta segunda-feira, 19 de outubro, vai entregar cópia dele, na íntegra, ao Ministério Público Eleitoral e ao Juiz Eleitoral da Comarca. “Vou pedir também a impugnação da candidatura dele (José Henriques)”, completou o candidato do PSL.

Fonte: Marcelo Lopes


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre