Confirmada mais uma morte por febre amarela em Viçosa



Desde o fim do ano passado, 155 pessoas morreram em decorrência da febre amarela em Minas Gerais, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), na terça-feira (17).

Na Zona da Mata, já foram nove óbitos em Juiz de Fora, sendo a segunda do estado com maior registro, atrás apenas de Nova Lima, com 10. Outras cidades com mortes confirmadas por febre amarela na região: Belmiro Braga (1); Bicas (1); Goianá (1); Lima Duarte (6); Mar de Espanha (1); Maripá de Minas (1); Matias Barbosa (2); Rio Novo (1); Rio Preto (3); Santa Rita do Jacutinga (1); Santos Dumont (1); Simão Pereira (1); Santo Antônio do Aventureiro (1); Senhora de Oliveira; e Viçosa (3).

Até o último balanço divulgado na semana passada, Viçosa tinha apenas duas mortes por febre amarela, agora a cidade teve um novo caso confirmado. Em Viçosa, outras quatro pessoas foram diagnosticadas com febre amarela, algumas foram internadas e tiveram alta.




Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas Gerais está em torno de 94,10%. Ainda há uma estimativa de 1.171.555 pessoas não vacinadas contra a febre amarela, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017.

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.