Home / Notícias / Região / Destino preferido dos mineiros, praias do Espírito Santo apresentam risco de afogamento

Destino preferido dos mineiros, praias do Espírito Santo apresentam risco de afogamento

O Corpo de Bombeiros do Espírito Santo divulgou uma relação de pontos que podem apresentar risco de afogamento em praias do estado.

Destino preferido dos mineiros, as praias de Anchieta, Guarapari, Maratízes e Piúma estão na lista. Entre os principais fatores que podem trazer perigo aos banhistas estão as fortes correntezas, a profundidade do mar e as pedras no local.

Entre as recomendações dos Bombeiros, está não beber e evitar locais mais fundos. Até as 19h deste último domingo (21), os Bombeiros haviam registrados 30 afogamentos somente no litoral do estado, nenhum deles com morte.




Confira a lista disponibilizada pelo Corpo de Bombeiros das áreas perigosas:

Anchieta

* Praia dos Castelhanos: a grande quantidade de crianças que frequentam gostam de se aventurar nas pedras. Há o risco de escoriações, cortes e quedas.
* Lagoa de Ubu: de um lado a outro, há aproximadamente 200 metros. Isso anima alguns a tentarem nadar de uma margem a outra. Mas quem não está fisicamente preparado acaba se afogando antes de completar a travessia.
* Praia de Ubu: apesar de não ter ondas fortes e não ser muito extensa, é rica em arrecifes em alguns pontos.




Guarapari

* Praia do Morro: a calmaria da praia incentiva as pessoas a se aventurarem, mas isso pode provocar afogamento.
* Praia das Virtudes: há perigo na mudança constante das condições do mar.
* Enseada Azul: por se tratar de mar aberto, a calmaria das águas da Enseada Azul propicia a travessia de ponto a ponto, mas alguns banhistas podem não conseguir completar o percurso.
* Praia da Areia Preta: atenção com a profundidade do local.
* Praia de Setiba: águas calmas, mas há desatenção do banhista.




Marataízes

* Praia Central: ondas não muito fortes, porém os banhistas se arriscam atravessando de píer a píer.
* Praia da Colônia: por se tratar de uma área aberta, as arrebentações tornam-se um perigo.
* Praia da Cruz: após a primeira arrebentação, existe uma laje de pedra no fundo do mar, as correntes que ali atuam são influenciadas pelos ventos e a falta de atenção dos banhistas, que os levam contra as paredes de pedras laterais, provocando alguns acidentes. Há ondas e as chamadas correntezas de retorno, por onde as águas voltam para o mar e puxam os banhistas para o fundo.
* Praia da Barra: dois metros depois da linha d’água começa a ficar fundo.
* Lagoa do Siri: águas tranquilas, sem correnteza, porém o fundo é enlameado, com áreas de depressão.

Piúma

Apesar das águas calmas, os turistas podem ter problemas com passeios longos. A 1,5 quilômetros da praia existe uma ilha que muitos gostam de visitar. Na ida, geralmente a maré está baixa, e é possível ir andando, mas na volta a maré pode subir e pegar os banhistas de surpresa.

Fonte: G1

Confira também

Homem é enganado por garota de programa e tem prejuízo de mais de R$ 1 mil

A Polícia Militar de Manhumirim registrou o boletim de ocorrência de extorsão no sábado (4). …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *