Pernilongos tomam conta de cidade mineira e “expulsam” moradores

O prefeito de Inimutaba, na região Central de Minas, decretou situação de emergência devido a uma infestação de pernilongos que tomou a cidade.

No município, sempre houve pernilongos. Porém este ano, segundo a prefeitura, a situação está pior, pois o ribeirão Santo Antônio, que corta Inimutaba, secou, mas continuou a receber a água utilizada pela Copasa na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Curvelo, cidade vizinha. A água passou a acumular e permanecer parada, tornando o antigo córrego o ambiente ideal para a proliferação dos mosquitos.

Uma dona de casa contou a reportagem do jornal O Tempo que, ao abrir a porta que dá acesso ao quintal de sua residência, acreditou estar diante de uma das dez pragas do Egito, descritas na Bíblia como sinais enviados por Deus para demonstrar soberania: ela foi surpreendida por uma nuvem de mosquitos que, em 64 anos de vida, nunca tinha visto igual. “Fiquei desesperada, com vontade de correr e sumir daqui”, disse. Ela e a família trocaram a noite pelo dia, já que as muriçocas têm hábitos de alimentação noturnos e não deixam ninguém dormir.

Os moradores da cidade têm tentado de tudo para evitar os pernilongos, desde tela na janela, queima de uma mistura de folha de eucalipto com fezes de boi até atear fogo em pó de café. “A gente recolhe os pernilongos com aspirador de pó. Não dá nem para conversar direito, porque eles entram dentro da boca. Parece que, quando matamos um, vem uns dez para o velório”, brincou o filho da dona de casa.

A Prefeitura de Inimutaba informou que já gastou cerca de R$ 25 mil em ações emergenciais, como aquisição de material e contratação de seis funcionários. Além do uso de produtos na água, há aplicação de fumacê nas ruas e visitas domiciliares.

Altas temperaturas fazem os insetos “saírem de casa”

As altas temperaturas favorecem a proliferação dos insetos, que buscam principalmente nos humanos a alimentação necessária para a reprodução. Apesar de não serem vetores de doenças, os mosquitos, que medem em média 4 mm, causam muito incômodo.

A água parada e suja facilita a reprodução. As fêmeas depositam, em média, de 100 a 200 ovos por vez e, a cada alimentação, ganham energia para voltar a reproduzir – só elas sugam o sangue humano; os machos alimentam-se de seiva de planta.

Fonte: O Tempo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo