Torcedor do Tombense denuncia goleiro do Operário (MT) por calúnia

O torcedor do Tombense que se envolveu em uma confusão com o goleiro Igor do Operário (MT), no último domingo (7), na partida que foi disputada em Tombos, registrou na Delegacia de Polícia uma representação contra o mesmo por calúnia.

Tombense e Operário emptavam em 1 a 1, em partida válida pela oitava rodada do Grupo A6 da Série D do Campeonato Brasileiro, quando, aos 36 minutos do primeiro tempo, o árbitro Antônio Carvalho Schneider interrompeu a partida após desentendimento entre o goleiro Igor, da equipe visitante, e torcedores do time mineiro. O goleiro acusou os torcedores de racismo e relatou que teria sido chamado de “Aranha”, “afrodescente” e “macaco”. Ele identificou um dos autores, que foi encaminhado a Delegacia de Polícia, onde prestou depoimento e foi liberado.

Diêgo Candian Alves, delegado titular da comarca de Tombos, vai investigar o caso de calúnia. “Injúria racial é um crime previsto no 3º parágrafo do artigo 140 do Código Penal. A lei 12.033 de 2009 estabeleceu que se trata de ação penal pública, condicionada à representação da vítima. A pessoa precisa vir à Delegacia e oferecer representação formal para que o delegado possa instaurar o inquérito policial”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, o torcedor tem uma lista de pessoas que confirmam que ele não agiu como o descrito pelo goleiro, que até o momento não entrou em contato com a Polícia Civil para formalizar a representação criminal pelo suposto ato de racismo. Ele tem um prazo de seis meses a partir da data do fato. “Duas hipóteses serão investigadas neste inquérito: a injúria racial, do torcedor contra o goleiro, e a calúnia, do goleiro contra o torcedor”, esclareceu o delegado.

Fonte: Guia Muriaé, com informações do G1


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo