Home / Colunas / Henrique Lourenço / Coluna do Henrique Lourenço – Margem, um indicador aliado de qualquer empreendedor

Coluna do Henrique Lourenço – Margem, um indicador aliado de qualquer empreendedor

Você quer lucro ou margem? Henrique, tem como ser os dois? É claro, indicadores da empresa são essenciais, mas antes de colher resultados a negociação de qualquer compra é muito importante.

A rentabilidade do nosso negócio hoje em dia está muito associada à margem que os profissionais trabalham. Mas gostaria que você esquecesse um pouco nesse momento o percentual da margem, como falamos: trabalho com 42%, 60% até 80% de margem em alguns produtos. Convido você para pensar que margem não paga suas despesas, mas montante em dinheiro que você deposita no banco.

Em editora de livros certa vez me deparei sobre essa discussão, quando falávamos de preço de venda de livros. A margem de venda do produto final estava sendo maior do que o ganho da editora, foi quando observei o lado deles. A gráfica tem custo por unidade produzida, não cita seu ganho em números percentuais, mas sim em real. Fiquei extasiado, esse era o jeito certo de pensar naquele produto, mas ao mesmo tempo: como maximizar então o dinheiro dos dois interesses?




Vamos entender que produtos específicos, como a produção de um livro, não tem concorrência direta. Diferente das padarias que brigam por centavos no preço de venda, quem está arriscando mais a margem? Pois bem, vale observar quando você tirar um relatório de margem, seja dinheiro ou não, deve identificar qual o objetivo desse indicador. Leve em consideração o giro de produto vendido, produtos que tem maiores volumes podem estar girando com margem percentual baixa. Mas que trazem para a empresa em questão financeira, margem maior, quando multiplicado diferença preço venda e custo versus quantidade.

Para concluir, se o que queremos é ter mais dinheiro sem prejudicar a queda da margem, é muito importante não descartar as propostas do fornecedor. Esse pode lhe apresentar na negociação um sortimento maior de produtos, dessa forma você não tem ruptura. Pode então vender novo espaço na sua loja, assim a área de venda é maior, e o giro aumenta. Imagine então a oportunidade de gastar menos tempo na reposição. Não se deixe levar por preços baixos para ganhar lucro com margens altas. Produtos que em épocas de demanda instável, tais vendedores são mestres em zerar seus centros de distribuição. Estude se você não terá a falta de mercadoria, e ajuste seu preço para que tenha lucro sem prejudicar a margem.

Autor: Henrique Lourenço – Administrador, gerente comercial do Supermercado Lourenço, professor e ministra cursos, palestras e workshops sobre Marketing, Empreendedorismo, Gestão de Negócios e Finanças pessoais




Confira também

Coluna do Henrique Lourenço – Torne-se um especialista em consumidor

Já foi a época que o cliente ia à loja procurar produto, hoje o que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *